O acidente da véspera

Imaginem meu dia terça-feira passada: frenético aqui no trabalho, correria total pq em pleno dia 30/12 eu ainda tinha que comprar copos de champagne, “plate mats” (como que se fala isso?), creme de leite, ovos e verduras. Sem contar que eu ainda tinha que pensar em uma sobremesa pq eu odeio mousse de chocolate (que já havia prometido –e até mesmo preparado) para nossa ceia de ano novo.

Saí do trabalho normalmente e meu cunhado ligou dizendo que Rafetes tinha caído no sono na casa dele. Bom, aproveitei para ir no supermercado logo pq Rafa recém-acordada é de um mal humor terrível! Corri contra o tempo no supermercado, comprei as verduras que precisava, todos os cremes de leite frecos que achei e ovos. Corri na casa da sogra (30 minutos do trabalho) para pegar taças de champagne e depois corri na casa do cunhado (na rua paralela à da sogra). Rafa ainda estava dormindo junto com a priminha. Peguei a Rafa dormindo mesmo, junto com minha bolsa max (terrivelmente pesada e cheia) e saí correndo para poder chegar em casa em um horário relativamente normal e jantar tranquilamente antes de fazer as outras milhares de coisas que tinha para fazer. Desci as escadas as quais estou tão acostumada e esqueci dos dois últimos degraus: meu pé torceu em um ângulo bem estranho e todos os ossinhos estralaram (???) de uma vez. Eu não caí (por sorte já que a Rafa estava no meu colo), “só” torci o pé. Sentei na escada quietinha por uns 5 minutos para a dor passar um pouco. Consegui ficar em pé, com muita dor mas fiquei em pé.

Ufa, não quebrei o pé!

Voltei dirigindo em segunda marcha pq apertar a embreagem doía demais. No caminho não aguentei e falei pro Mick que ia encontrá-lo no escritório onde trabalha (que fica no meio do caminho) para ele dirigir. Cheguei em casa me sentindo fraca e com enjôo, logo atribuí o sentimento à fome. A dor não podia estar me afetando daquele jeito!

Comi um sanduíche frio e, pela primeira vez, olhei para o meu pé … ou para a bola de futebol americano que o tinha substituído.

Fomos para o hospital, tiramos radiografias e o pé não estava quebrado (tão menos os ligamentos), mas a torção foi feia, machucou bastante os nervos e o músculo: 3 dias sem andar.

Passamos o ano novo lá em casa como havíamos planejado mas achei péssimo não ter ido comprar minhas coisinhas pra enfeitar a mesa, não ter podido fazer uma segunda sobremesa e ter todo mundo reclamando comigo que eu deveria ficar sentada/deitada!

Confesso que fiquei bem chateada por não poder deixar as coisas como queria, mas nada que uma champagne perfeita não curasse rsrsrs

Curti a Rafa e enchi a paciência da minha chuchu tirando fotos. Curti a companhia dos amigos, do Mick … da champagne …

Mesmo com a dor que teima em não ir embora deu pra dizer tchau para 2008 com um sorriso no rosto (e desejando que em 2009 eu começe a prestar atenção aos degraus das escadas pq isso de cair igual banana podre era cute qd eu tinha 13 anos e eu ainda estava me acostumando com o tamanho das minhas pernas de garça! Hoje em dia é falta de vergonha na cara).

Anúncios

4 comentários sobre “O acidente da véspera

  1. Caramba, então foi isso?! Mas que sorte não ter quebrado o pé né?
    Espero que fique 100% logo!

    bjos e feliz 2009 pra vcs!!

  2. Ô amigaaaa… eu vi a foto no orkut! Vê se descansa hein!!
    Beijos

  3. Hi, Espero q vc se recupere logo!
    Mas uma pergunta q nao quer calar: as vezes passo por aqui p saber das novas, alias sem muitas “novas” nos ultimos tempos… Druk, druk ? Mas lembrei de vc hoje no q diz respeito a trabalho. Curiosidade… Vc fala / escreve holandes ou ingles no trabalho??? P ter um cargo de mais responsabilidade espera-se q a pessoa escreva certinho bla, bla, bla e ai fica minha maior dificuldade no momento. Trabalho num banco em Amsterdam com fdos de investimento. Dentro do meu afdeling vai bem obrigado, se tenho duvida numa carta ou mail pergunto p um colega… mas em poucos dias preciso trabalhar um dia por semana no sul da Holanda p aprender um novo trabalho q meu afdeling ira fazer no futuro e escrever uma instrucao de trabalho, meda muito meda! Cometer erros p falar + meu sotaque latino até vai, mas escrever errado eu nao me perdôo! O q rola contigo no trabalho??? Vc consegue ser confiante o suficiente?
    Silvia,

  4. Caramba Fée 😦
    Bem, pelo menos vc não quebrou o pé, mas eu imagino sua dor e sua frustração em relação as coisdas que vc queria fazer, mas no próximo vc faz 🙂
    Bjokas.

    PS. Páscoa no BR????!!!! Coisa boa :)Eu quero tbm….

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s