1° de maio e baby talk

Eu quero ir pra Londres.
Eu sei que eu devia era ficar em casa no feriado prolongado, sei que ainda não estou em condições de ficar viajando por aí sem ter que sofrer alguma consequência depois (=prolongar a dieta financeira), mas eu quero TANTO ir pra Londres que já está virando obsessão!
Eu já tinha aceitado o fato de que não iríamos para Londres esse semestre pq Mick queria ir pra Escócia ao invés de Londres, mas eu PRECISO de Londres.
Ontem eu passei a noite inteira tentando convencê-lo de que Londres nem ia sair tão caro, que têm passagens em promoção no site da Eurostar, que eu aceito ficar em um hotel mais simplezinho (mas ele sabe que se eu achar o hotel sujo, eu nem entro no quarto), que eu aceito não ir jantar em nenhum restaurante famosinho (eu queria ir em um dos do Gordon Ramsay) e por aí vai. No final das contas ele estava quase convencido, quando me lembrou de uma coisa … Rafetes odeeeeeeeia caminhar por horas e horas. Londres, pra mim, significa bater perna até não aguentar mais –no sentido mais literal da palavra. Eu quero ver absolutamente tudo, quero andar de ônibus double decker o tempo inteiro para alcançar lugares mais distantes, quero ver as pessoas, escutar o sotaque … e já imagino que Rafaela ia aceitar dar uma volta e no momento que ela perceber que pra ela o jogo não é tão vantajoso (não vai ter parquinho pra ela brincar, nem afins), ela vai pedir colo e vai se recusar a andar muito mais (eu mimei a Rafaela com isso e agora tô pagando o pato. Ela adora ficar no colo).
Fiquei com medo de ir (apesar de ainda estar procurando alguma solução pra esse impasse).

Fato é que eu não quero ficar em casa no feriado, quero fazer alguma coisa diferente (na verdade eu só queria Londres mas, como parece que não vai rolar, eu não vou ficar em casa pq vou ficar desapontada).
Estamos pensando então em ir no Efteling (www.efteling.com) ou na Disneyland Paris.
No Efteling eu quero ficar no hotel pq o preço até que é razoável (não é baratinho para um quarto tão simples, mas é razoável e seria só uma noite). Na Disneyland Paris eu não quero ficar num hotel lá dentro pq está um abuso de caro (pelo menos quando eu vi antes de ir pro BR … vou ver de novo hoje).

Vou confessar uma coisa … eu estava planejando um bebê #2 para o ano que vem. Queria parar de tomar o remédio em Agosto próximo e ver no que ia dar. Mas já estou com dúvidas quanto à isso.
Eu nunca fui de viajar muito (e ainda não sou quando o assunto é longas distâncias – BR seria um suplício se não fosse pela família e amigos), mas eu me encontrei com essas city trips que vc faz tão facilmente pela Europa. Eu ainda quero conhecer tantos lugares (geralmente os “lugares” são todos dentro da Inglaterra), quero andar tanto pela terra da rainha … Aí fico pensando no quão difícil é fazer isso com a Rafa (e ela tem 3 anos!!!), imagina com um bebê!
Tá, enquanto eles são recém nascidos ainda dá pra fazer bastante coisa desde que vc esteja preparada e leve em consideração a infraestrutura dos lugares (tem sempre que ter um banheiro perto para a troca de fraldas e etc), mas e quando o bebê fizer um ano … um ano e meio … dois …
Quando é que eu vou comer quindim em Portugal?? Quando é que eu vou passear em Roma?? Quando é que eu vou visitar um zilhão de lugares da Inglaterra??
Talvez se eu tivesse minha mãe por perto eu não teria tanto medo pq sei que poderia contar com ela, mas aqui não é sempre que a Rafa pode ficar com a avó paterna e eu não gosto de pedir muito pq a família do Mick dá umas crises loucas de vez em quando. Ou seja, 98% dos nossos passeios devem ser feitos com a Rafa conosco, o que até dá pra relevar, mas imagina com duas crianças!!
Eu não quero ter que tirar férias só de ir pra praia nos próximos 5 anos pq city trips seriam impossíveis.
Problema é que eu passei os últimos 6 meses azucrinando Mick para que eu engravidasse esse ano de novo e agora ele está animado. Ele não aceita de jeito nenhum uma grande diferença de idade entre filhos e já foi um parto convencê-lo de que 4 anos não é tanta diferença assim … quero ver como que eu o convenço a esperar mais um ano (se eu falar que eu não quero engravidar, ele vai respeitar é óbvio, mas vai dizer que então vamos ter uma filha só: a Rafa).
Ai ai … queria já ter uns trinta e tantos anos para sentir o relógio biológico e me decidir logo ao invés de querer explorar o mundo, mas o fato de eu ter só 25 me dá muita liberdade … eu sei que eu posso esperar mais tempo.
Na verdade, esse é um dos “lados ruims” de se casar tão nova (18 anos) e resolver engravidar nova (21 anos) … eu pulei fases da minha vida e agora fico querendo viver tudo de uma vez só. Mick é quem tinha que se tocar que 30 anos não significa que ele está velho e precisa dar uma acelerada na vida!! Humpf!

Anúncios

6 comentários sobre “1° de maio e baby talk

  1. É Fee, situação difícil a sua… a maior razão por eu não ter tido filho ainda é porque tanto eu quanto o Barry amamos viajar e viajamos muito. Se já temos problema prá viajar por causa do gato, imagina quando tivermos um filho. Por isso queremos ter justamente quando estivermos certos que viagens naquele momento não são tão mais importantes pois ter filho sempre muda a vida de alguém e sempre nos faz nos privar de algo que gostamos muito como sair, viajar etc. Quanto a Rafa, ela ainda é pequena e tem como vc fazer ela se acostumar a viajar. Uma das coisas que mais admirei na Holanda comparado com o Brasil é que filho nunca foi impecílio prá nenhum casal. Meus amigos com filhos fazem tudo com eles, viajam, passeiam etc. Não sei se eu darei conta disso mas espero que sim… ahhh, já me hospedei no Efteling, fiquei no quarto temático de Golf que na época foi caro mas valeu muito a pena. Os quartos normais são bem mais em conta mas tb vale a pena, já na Disney de Paris eu fiquei em um hotel da Disney mas tenho amigas que ficaram em hotéis ao redor e adoraram. Dá uma olhada na internet… outro lugar legal nessa linha que a Rafa iria adorar é o Movie World na Alemanha (é o parque dos bichinhos Lonely Tunes) no site tem dicas de hotéis pertos e tem muitas atrações prá crianças (fomos com uns amigos e os dois filhos pequenos dele e foi super divertido) ou o Fantasia land tb na Alemanha. Esses dois parques ficam mais perto que a Disney e tb são super legais. Beijão

  2. Amiga vc tocou nu assunto seríssimo aqui em casa 🙂
    Love tá louco para ser papy(ele vai fazer 36 anos este ano) e eu nem tanto -rsrsrsrs
    Este ano em Fev qdo estava em Reciofe fiquei com muita vontade de ser mamy, formar minha família e tal, mas depois de 2 dias tudo passou e a vontade foi do mesmo jeito que voltou.
    Se quero ter filhos? Sim eu quero, mas sinceramente não sei qdo.
    Como vc amiga eu quero conhecer tanta coisa ainda…(St.Marten, Curaçao e tantas cidades lindas da Europa)que nãos eis e um filho vai me atrapalhar a viver tudo isso. Love disse que podemos fazer isso, pois a os pais dele nunca deixaram de viver por causa deles, mas sei lá na minha cabeça isso ainda não tá sólido…Só sei que não posso demorar muito, pois diferentemente de vc eu já fiz 30 e Love vai fazer 36. Não queremos ser avós e sim PAIS – rsrsrsrsrsr
    Bjkokas

  3. Realmente eh um assunto dificil…e eu que nao sou casada e nem tenho filhos fico pensando o quao dificil eh abrir mao de certas coisas….Mas aproveita esse ano, viaja bastante, o quanto puder, engravide e dp das duas criancas um pouco maiores vc vai poder viajar muitaaaaoooo tb…vai so adiar um poucos seus sonhos e realizar outros! 🙂
    bjuuu

  4. Eh um assunto dificil sim, mas vc nao usa carrinho para a Rafa? Eu onde vou levo o carrinho, assim que a Victoria comeca a cancar vai para o carrinho, eu carrego no colo de vez em quando soh. A Victoria adora andar tbem, ela quer sair do carrinho o tempo todo e andar ha, ha, ha.

    Olha, vc e o Mick tem que sentar e conversar direito e decidir por que depois de uns anos vc vai querer outro filho e ele nao vai querer ou vice-versa, ai cria mais conflitos ainda.

    Mas… se vier para Londres a gente tem que se ver 🙂

    bjs

  5. Eu usei muito os carrinhos de passeio com o meu filhote, também respeitei seus horários de soneca, o que foi ótimo, assim ninguém se estressava.
    Mas pense bem, quando você tiver quarenta, seus filhos já estaram independentes, mesmo que você tenha o segundo aos 30, e poderá desfrutar de muita coisa nesta idade, mas eu te entendo, convercer um marido não é a coisa mais fácil do mundo, rs, normalmente somos nós que abrimos mão de algo, mas…
    bjks

  6. olha eu de novo.

    Ai gente, melhor eu nao comentar mais, pq meus comentarios sao um tanto qto polemicos……..

    e outra, nao to na sua pele pra saber o q eh melhor pra vc. Nossas vidas sao diferentes…

    Mas, esse negocio de seu marido exigir pequena diferenca de idade entre filhos eh bobeira. nao eh ele quem vai engravidar, nao eh ele q vai ter a carreira um pouuco prejudicada, mesmo q depois vc corra atras pra tirar o atraso, nao eh ele q vai amamentar, etc. Mesmo o melhor pai do mundo, nao sofre as consequencias na pele de uma maternidade. Acho, q em geral, eh mais facil pra eles do q pra nos….

    Vc eh muito nova! Nao interessa q seja super responsavel e madura, o fato eh q vc eh nova e q deve viver um pouco sua vida… mas, isso nao quer dizer nada se pra vc o melhor e ser mae e tal. respeito totalmente as minhas amigas q se dedicam a maternidade e vida familiar 100%.

    ja ouvi dizer tb q maes um pouco mais velhas curtem mais, com mais calma, menos culpa, etc. Mas nao posso me meter mais do q isso, pq nem mae sou!

    ok dan. doei doei.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s