Crise e babies

Isso de segundo filho ainda tá dando pano pra manga.
Mas antes de eu contar os últimos acontecimentos, preciso falar uma coisa …

Erika, não me importo de vc expressar suas opiniões e nem as acho polêmicas. Se eu postei aqui no blog tenho que estar preparada para escutar coisas que eu goste e que eu não goste (desde que se mantenha o respeito). E além do mais, eu bem concordo contigo =o)
Então bem vinda à caixinha de comentários.

Pronto, agora os últimos acontecimentos: ontem fui almoçar com uma amiga (que deve ir pra Londres comigo no final desse mês. Yay!!) e estávamos conversando sobre babies e talz quando eu contei que estava na dúvida. Primeiro ela quase caiu da cadeira pq ela sabe que eu passei 8 meses tentando convencer o Mick de que 4 anos de diferença entre filhos não era nada demais (Mick queria no máximo dois anos de diferença, quando a Rafa fez 18 meses e eu não queria engravidar, ele meio que decidiu que não queria mais filhos e, por isso, foi um parto convencê-lo a tentarmos baby #2). Daí que ela veio me apresentar outro lado da estória, o lado onde existe credit crunch e recessão financeira.
Segundo ela, eu deveria engravidar agora para poder ter garantia total do meu emprego (isso pq minha empresa não está mostrando o menor sinal de recessão) e poder estar de volta antes do verão do ano que vem para que eu pudesse ainda curtir e decidir se eu quero tomar outro rumo profissionalmente (é que eu tô sentindo MUITAS saudades de trabalhar em armadores/carriers e estava pensando se eu não gostaria de voltar quando a crise passar – ano que vem).
Eu nunca tinha pensado por esse lado (acredito que deliberadamente) e, por mais que isso faça sentido pra muita gente (uma menina aqui do escritório começou a tentar engravidar quando o namorado perdeu o emprego no ano passado e os prospectos no meu setor não eram dos melhores), eu acho tão injusto engravidar por esse exato motivo!!
Eu expliquei pra ela que, se eu acho que não estou preparada para Agosto, só de me imaginar grávida agora, tenho crises de desespero!!!
Eu não quero focar muito no meu “eu não quero engravidar esse ano” pq acho que já explorei isso bastante e vou seguir o conselho do Mick … viajar bastante com minhas amigas, com ele e com ele + Rafa. Mas queria poder entender esse lado de “vou engravidar pra garantir meu emprego por uns bons 13 meses”.
Uma outra amiga minha engravidou no ano passado antes da crise bater e eu fiquei aliviada por ela quando vi que a empresa dela demitiu 50% (!!!) dos funcionários para cortar custos. Mas acho que só fiquei aliviada pq eu sabia que era o que ela queria há muito tempo, sabia que os motivos por trás da gravidez eram pessoais, uma decisão dela e do marido independente de crise.
Essa menina que trabalha comigo agora agiu contrariamente. Tivemos muitos papos no ano passado quando ela, repetidamente, disse não estar preparada para um filho tão cedo. Quando o namorado dela perdeu o emprego em decembro/2008, me lembro que ela estava bastante preocupada. No final de janeiro ela começou a comentar que era melhor engravidar logo pq o namorado ainda não tinha encontrado emprego e que o salário dela estaria pelo menos garantido (mais a ajuda do governo quando se tem filho). Quando eu voltei do BR agora ela veio contar que tinha conseguido engravidar.
Eu sei que ela está feliz com a gravidez, sei que o namorado tb está feliz e sei que eles vão formar uma família feliz e talz mas eu acho que, pq eu tb tomei uma decisão meio rápido demais da primeira vez, eu fico com o pé atrás sobre como ELA vai se sentir quando perceber que TUDO na vida dela mudou.
É claro que tem gente que nasce pra ser mãe (não é o meu caso … apesar de eu sempre ter sentido um amor fora do normal pela Rafa, ser mãe foi algo aprendido com o tempo e não um estado de espírito que me definiu no momento que eu vi a primeira ultrasonografia), mas será que, quando vc decide ter filhos para se livrar da recessão financeira, vc não se ‘arrepende’ em momento algum?!
Para mim a decisão de ter um filho é algo meu e do meu marido, sem influências. É claro que é bom escutar o que outras pessoas pensam caso vc se encontre em dúvidas mas, no final, é uma decisão nossa, levando em consideração só nós dois. Mick leva a Rafa em consideração, eu não (acho que irmão é irmão independente da diferença de idade … e pouca diferença de idade não garante que seus filh@s serão melhores amigos). Eu considero meu estado emocional; minha capacidade de levar uma gravidez adiante, engordando e tudo mais; minhas vontades, gostos e sonhos e tb o lado financeiro. Depois eu analiso pelo lado do Mick e sentamos para ver o que achamos da idéia em geral.
Talvez eu seja ingênua, mas eu nunca pensei na crise e nem na segurança de um emprego como um fator determinante nessa equação toda. Para mim é uma coisa que vc decide em dois, para o momento certo para os dois e não no momento em que vc acha que seu emprego pode estar na linha.

Anúncios

4 comentários sobre “Crise e babies

  1. Fee, concordo com você. Acho que decidir se terá filhos ou não cabe exclusivamente ao casal… e eu acho que o fator financeiro pesa muito mais na hora de decidir a NÃO ter filhos em um determinado momento. A sua colega acabou fazendo o que a maioria não faz, engravidar em período de crise que é um período instável. E ela se engana muito que o bebê irá lhe garantir o emprego… uma amiga minha na Holanda que trabalha na sua área acabou de perder o emprego sendo que teve a bebê em Dezembro. Imagina se a sua colega perde o emprego? Iam ser 3 bocas prá sustentar com a ajuda do governo que é uma mixaria!!! Ela se esqueceu que ter filho é caro e que mesmo com a ajuda não será suficiente prá ela dar tudo que uma criança precisa com somente um dos pais trabalhando. E ela também se esqueceu que a crise não acabou e ninguém tem garantias que irá acabar ano que vem… muita gente ainda pode perder o emprego e muitas empresas ainda podem falir. Ainda bem que vc tem muita personalidade, cabeça feita e sabe o que quer… assim não fica tão tentada a ter filho quando se ouve comentários como o da sua colega. Beijão

  2. Gentemmmmmmmmmm! Que chique ser citada no post! hehhehee Obrigada!

    Concordo total com o comment ai de cima (a Marina). Alem do mais, acho um horror se garantir num emprego por causa de um filho e que ingenuidade pensar q sei la qtos meses de salario garantem o alto custo de criar uma crianca nos dias de hj com boa educacao, brinquedos, roupas, comida, aparatos (carrinho, quarto, etc). Tudo bem q nao sou mae, mas nao sou retardada ne? Tenho sobrinhos, tenho amigas q tem babies!

    Concordo total com vc tb de achar q diiferenca de dade nao influencia muito. Por um lado eh legal ter filhotinhos de idades parecidas, mas isso nao quer dizer nada!

    Quer outra polemica, uma vez uma amiga ficou horrorizada comigo pq eu disse q talvez nao quisesse ter filhos e ela disse : ” mas como? se nao tiver filhos, quem vai cuidar de vc qdo ficar velha???????” Aguento o q esse povo pensa?
    Como assim ter um filho pra nao morrer sozinha? Ou achando q o pobre coitado vai ter q se virar pra cuidar de mim na velhice!!! Gata, filho eh pro mundooooooooooooo! Nos nao controlamos ninguem!!!!

    Dai o link pra questao da idiferenca de idade: isso nao quer dizer nada, q fiquem amigos, q sejam filhos maravilhosos, q cuidem de vc na velhice, etc. etc. Nos NAO controlamos o futuro, nem de forma geral, nem o dos nossos filhos.

    Entao, como ja disse: decida o q TE fizer mais feliz em conjunto com o seu marido… pense nos pros e contras. Amadureca essa decisao… Nao se arrependa de nada! Na hora q vc realmente quiser e a crianca vir ao mundo com AMOR, nada vai importar e tudo vai dar certo. sendo agora ou sendo daqui a uns aninhos…

    e conte com o batalhao de ” tias e tios virtuais” !!! beijos

  3. Fernanda, não acredito que filhos sejam solução para nada. E como você também acho que temos que estar com a cabeça no lugar para tê-los, eles tem que vir harmonizar.
    Gosto do seu jeito de pensar.
    bjks

  4. Fée que doidera é essa de engravidar pra garantir emprego?! Meio doido 🙂

    Olha tô com vc, acho que a vida depois de um filho muda muito para se decidido assim de uma hora para outra e com um fundo de desculpa uma crise mundial, fala sério!

    Em off pra vc eu confesso que venho pensando sim em ter um filho, será relógio biológico? Sei não, mas ainda pesa muitas outras coisas, inclusive o meu “selfish” ainda muito alto 🙂

    Muitos bjos amiga

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s