Visitando a Bélgica

Eu estou começando a organizar a viagem da minha irmã em dezembro e, ao montar a programação (fato inédito na minha vida!), eu lembrei de uma conversa que eu tive com a Mi quando estávamos em Reading: não tem muito o que ver e fazer na Bélgica.
Meu, vocês não fazem idéia de quantas vezes eu escuto isso! E eu tenho uma explicação: os livros de viagem que abordam a Bélgica como assunto dão muita ênfase a coisas pequenas e se concentram muito em duas cidades: Bruxelas e Brugges:
1- Bruxelas
Eu tenho pavor de ter que ir em Bruxelas. Acho tudo extremamente overrated, bagunçado, sujo e desorganizado.
É bem verdade que algumas construções de Bruxelas são bem bonitas (eu amo o Palácio de Justiça na Avenida Louise, também amo a catedral gótica que é ali pelas redondezas), mas eu não acho que valhe a pena passar um findi em Bruxelas.
Todos os livros dão uma puta ênfase ao “manneken pis” (a estátua do menininho fazendo xixi), dando a impressão que ele fica localizado numa praça imponente e talz. Eu não acho graça e acho ridículo eles considerarem essa estátua um super marco para a cidade.
2- Brugges
Brugges é bonita e romântica, mas também é uma cidade que logo cansa. O estilo das igrejas e da cidade inteira são praticamente uniformes então, depois de um dia andando pela cidade, você tem a impressão que já viu tudo o que tinha que ver. (eu me diverti mais da última vez em Brugges pq eu visitei as lojinhas e talz).

Outras cidades que você já deve ter ouvido falar:
* Namen (ou Namur)
Namen é uma província meio que no meio da Bélgica e é cheia de castelos. Alguns castelos viraram hotéis, outros viraram restaurantes ou edículas de vinho.
Eu ainda não sei quais castelos queremos visitar ou se vamos nos hospedar em um, mas é um passeio que valhe a pena.
* Gent
É uma cidade universitária, ou seja, bomba durante a semana e fica bem parada nos finais de semana de outono e inverno (na primavera e verão é diferente pq os finais de semana atraem turistas e visitantes). Mas mesmo assim Gent é considerada uma cidade grande por aqui, então além das igrejas e outras construções legais para se visitar, há várias opções de restaurantes e lugares para ir, acomodando pessoas com todos os gostos.
* Antuérpia
Eu acho um pecado a Antuérpia ser principalmente conhecida como a capital do diamante quando ela tem TANTO mais para oferecer (na verdade, as ruas com lojas de diamantes são umas três ruazinhas estreitas que ficam perto da estação de trem … ruas que eu sequer perceberia se não soubesse o que estava procurando).
Eu adoro a Antuérpia pq todas as pessoas estão dispostas a conversar em inglês contigo (diferente de Bruxelas onde muitas pessoas só falam francês!). Segundo que, como centro da Antuérpia é menor do que o centro de Bruxelas, tudo fica mais concentrado.
São vários restaurantes, vários barzinhos, vários “danscafés” (que são pubs com música e talz) e (para quem quer ir às compras), o Meir (que é uma espécie de rua com várias lojas e mini shopping, onde o trânsito de carros é proibido … as lojas de designers ficam nas ruas paralelas).
Fora isso ainda temos igrejas antigas, a “city hall” no meio da cidade, uma catedral linda (eu nunca entrei pq eu me recuso a pagar para entrar numa catedral na cidade onde eu moro e pago impostos!!) e temos o “kaai”, que é o limite da cidade da Antuérpia na beira do rio Schelde, com um pequeno castelo.

Em termos de passeios, esses são os meus favoritos:
Bokrijk (em holandês)
Bokrijk é um museu à céu aberto onde, em 1252 foi construído uma igreja e ao redor uma comunidade foi se desenvolvendo.
A igreja, as casinhas e as outras construções foram preservadas e o estilo de vida dos camponeses do século 14 é mostrada todos os dias.
Bokrijk é mais legal na primavera pq fica no meio de um bosque extenso, mas no inverno eles organizam “noites de inverno” onde algumas fogueiras são acendidas e você pode beber “gluwijn” (vinho aquecido com canela e outras especiarias), ou “jenever” (que é parecido com gin e existem vários sabore diferentes: o meu favorito é a jenever de baunilha).

Museu Hergè (Museu do Tintin) (em francês)
Eu sabia que o Tintin era belga, mas não sabia que existia um museu dedicado à ele. Abriu esse ano, em Leuven, o Museu Hergè que, além de exposições diversas, exibe constantemente desenhos, rabiscos e filmes do personagem.
O prédio do museu é super moderno e com vários detalhes legais para quem se interessa por arquitetura e engenharia.

Mini Europe
Eu só fui durante o verão e estava um dia gostoso. Não sei como é durante o inverno (nem sei se eles abrem durante o inverno!!!).

– Feiras
Eu sinceramente não sei se isso é comum na Europa inteira ou se é uma coisa belga, mas todo santo final de semana pipocam centenas de feiras livres. Eu adoro ir na feira na Antuérpia (até pq é perto de casa).
Coisas que eu sempre compro: queijo de cabra fresco, azeitonas frescas, amêndoas, nozes, amendoim e, é claro, frutas. Dá pra comer hamburguer, escargot feito na hora, caracóis feitos na hora, queijos frescos, beber vinhos e cervejas (e vc sempre encontra alguma barraquinha servindo wok).
Essas feiras também servem como uma espécie de mercado de pulgas, então vc encontra várias barraquinhas onde as pessoas vendem objetos de decoração que não querem mais por preços super baixos (eu já comprei um cinzeiro enorme de cristal por 2 euros).
Em Luik (ou Liège) existe uma feira só para antiguidades (móveis, objetos de decoração, livros, etc) que dizem ser interessante. Mas como antiguidade não é minha praia, eu nunca fui.

– Cervejas
A Bélgica tem zilhares de cervejas e existem alguns barzinhos que servem um grande número dessas cervejas para degustação. Nós não bebemos cerveja em casa então não tenho muitas referências, mas levamos um casal de amigo nossos em um desses barzinhos em Brugge e eles curtiram bastante poder provar as cervejas de maçã, de banana e de framboesa, sem contar as cervejas tradicionais.

Anúncios

7 comentários sobre “Visitando a Bélgica

  1. SUPER concordo! Bruxelas e sem graca de-mais!!! Confusa, feia e suja!
    E me revoltei com a antipatia das pessoas e com o tamanho minusculo do bonequinho fazendo xixi!
    Hahahahhahaah
    Mas depois de te conhecer fiquei animada pra conhecer Antuerpia e agora fiquei morrendo de vontade de conhecer os castelos de Namem!!!

    P.S. Mercados sao uma coisa Europeia mesmo… aqui em Londres tem um ZILHAO de mercados, e na Espanha/Portugal tambem (logo imagino que seja comum em varios outros paises…)

  2. Eu gosto de Bruxelas para fazer compras e comer os maravilhosos waffles. E concordo com você que é uma cidade bagunçada e que o Manneken Pis é muito sem graça…você anda a cidade toda esperando chegar em uma super estátua e quando vê dá de cara com aquela coisinha minúscula. Mesmo assim sempre levo as minhas visitas para conhecer a cidade. Adoro a Antuérpia, Brugges… ainda tem muitas cidades que quero conhecer, fiquei curiosa para ir em Namem e Gent. E na Holanda também há milhares de feiras, geralmente tem um dia por semana que alguma feira passa em algum bairro (dia fixo) e nos finais de semana tem nos centros das cidades. Beijão

  3. Pior é que quando a gente fala pro parente brasileiro que Bruxelas é chata, acham a gente metida! Eu amo Brugge, levei minha mãe. E vc tá pertinho de Maastricht, que é legal, apesar de não ser Bélgica. E em umas 3 horinhas tá na Disneyland Paris. E eu tenho curiosidade de conhecer Durbuy, que já foi a menor cidade da Europa. Meu colega Belga vai sempre praquela praia Knokke, se bem que praia no inverno não rola, né? E há que se comer “pralines”, que eu aprendi que Belga não fala bombom, é pralines. E visistar o Delhaize, onde eu sempre paro pra comprar muambas. Bjs, Dri

  4. Não esquece de fazer todo esse roteiro degustando os chocolates belgas e as bolachinhas … minha tia chegou dai com varias caixinhas desses pecados em forma de chocolate …aiiiiiiiiiiiii deus

  5. Da próxima vez, quero fazer esses roteiros aí com vc 🙂

  6. Olá
    Encontrei teu blog através do blog BeautyEveryWhere (que estou adorando, comecei a ler hoje), adorei o nome do teu blog!
    Então, eu morei durante 8 meses na Bélgica e é realmente assim, Bruxelas é suja e cheia de Marroquinos, e os belgas não fazem questão alguma de falar inglês. Brugges é linda, mas cansa logo, como tu disse.
    Ghent é bem legal, mas também não espere grandes surpresas, e tem a cidade de Leuven, é uma cidade universitária (senão me engano a universidade católica mais antiga do mundo é lá), tem vários barzinhos e abriga a sede da Inbev. Os barzinhos ficam um ao lado do outro, na Grote Markt (tem um que chama Giraffe e que é bem legal). Se tu quiseres ir pra parte da Wallonia, tem a cidade de Waterloo, onde supostamente Napoleão perdeu a guerra, há um monumento com uma escada enorme, e um castelo lindo, o castelo de Waterloo.
    Abraços e boa viagem!!!!

    Deise Sterque.

  7. Olá!

    Vivi 1 ano e meio na Bélgica e ao encontrar o seu blog fiquei com saudade de lá :-), esteva a ler tudo e a recordar. Vivi em Antuérpia e sinceramente é uma cidade bem completa, antiguidade e história, modernidade transportes e arquitectura, design e moda. O que mais me impressiona em toda a Bélgica é a mistura de raças, acho o máximo estar na Europa e poder usufruir de um espaço (restaurante, bar, etc) completamente marroquino, indiano, paquistanês e todas essas nacionalidades que por ali proliferam, conheci muita gente de muitos lugares do mundo sem sair da Europa. Quando a Bruxelas eu acho uma cidade bem mais viva que Antuérpia, Antuérpia é mais cinza e as pessoas apesar de sorridentes e abertas são um pouco mais fechadas e individuais, eu gosto disso porque sei que são assim por serem muito respeitadores da liberdade dos outros e perseverantes de sua própria liberdade e uma vez feita a amizade eles são muito cool. Mas em Bruxelas, apesar de a cidade ser enorme e eu em várias vezes que estive ali no consegui ainda conhecer tudo, é uma cidade onde a gente não fica mais que uma hora sozinho, quando damos conta estamos a falar com alguém aqui e ali e parece que toda a gente se conhece, alias tem um bar restaurante na grande praça de Bruxelas perto do menino da pilinha rsrsrsrsr!!! chamado restaurante Manuel onde se fala o Português, para visitar assim mais belo em Bruxelas eu aconselho o Atom, é realmente bonito e perto dele tem um jardim enorme muito bonito. Em base e muito por culta de cidadãos de outros Países como as comunidades semitas acho apesar de bela Antuérpia mais cinza e suja, perto da Plantin et Muretuslei após o cruzamento da Provinciestraat tem uma zona bem suja e cinza com maioria de habitantes norte africanos e médio orientais. Aparte esta analise o povo Belga é um povo bem aberto e liberal, muito organizado, tudo funciona muito bem, a segurança social (Mutual) os serviços administrativos públicos e mesmo privados, tem transportes públicos a toda a hora para qualquer lugar sem limites ( quando não há greve) e o passe comprado ao ano fica super hiper barato, isso é que é incentivar as pessoas a andar mais a pá e de transportes colectivos zelando pelo meio ambiente, esta bem situado perto de tudo (Roterdam, Amsterdan, Paris, Strasborg, canal da mancha, Alemanha) e se procuras emprego há sempre uma empresa que necessita de um falante da língua Portuguesas. Gostei muito da minha experiência e aparte o clima que me deprime um pouco é um óptimo lugar para se viver, com boas condições e preços competitivos podemos sempre viajar para climas mais quentes. Gostei muito do tema do blog para mim foi uma recordação agradavél.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s