Valentine’s

Curiosidade … vcs comemoram o dia dos namorados?
Comemoram o Valentine’s day em fevereiro ou o dia dos namorados em junho?
Ou os dois??

Ontem eu falei pra Mick que não entendia como pessoas que estão juntas há muito tempo conseguem comemorar todas as datas “de casais”.
A conversa surgiu depois que uma amiga disse que tinha que pensar numa surpresa para o marido e depois me disse que eles comemoram TODAS as datas (aniversário do dia em que se conheceram dia, primeiro date, aniversário do dia do pedido de casamento, do noivado, do casamento e mais valentine’s, dia dos namorados, aniversários, etc etc).
Eu sou péssima para lembrar datas e eu e Mick temos um zilhão de datas que deveríamos comemorar (primeiro chat no ICQ, dia que ele foi pro Brasil pela primeira vez, dia que me pediu em casamento, dia que ele pediu minha mão pro meu pai -eu nem sei mais quando que isso foi!-, dia do casamento no civil, dia do casamento na igreja no Brasil, dia do casamento na Bélgica e mais as outras datas); não DÁ pra lembrar de tudo (eu sempre tenho que ver na certidão de casamento para lembrar quando que casamos no civil!!).
Então fiquei super feliz com nosso acordo há alguns anos de só comemorar aniversário de casamento.
Aí ontem eu comentando no restaurante que achava estranhíssimo que alguém comemore todas as datas fazendo surpresas e dando vários presentinhos (gente, minha amiga é casada há 10 anos!!! Como é que se faz surpresa pelo menos 7 vezes por ano durante 10 anos??????? Eu já sofro com aniversário e natal!!!!).
Mick vai e tem a coragem de dizer “ué, mas eu acho que isso é que normal. A maioria das pessoas que eu conheço comemoram, só vc que não gosta”.
Abusado, né??!!! Principalmente quando é ele quem fica reclamando que Valentine’s Day é muita data comercial demais!!
E tipo, falou a pessoa que até hoje não resolveu o que vamos fazer para comemorar nosso níver de casamento atrasado (estamos em um pequeno impasse, eu quero Itália pq eu sou clichê e ele quer ir para algum lugar exótico … meu, eu o-d-e-i-o coisas exóticas pq já fico pensando nas comidas que eu não vou querer comer e exótico, na minha cabeça, sempre tem coligação com mosquitos, não me perguntem pq).
Enfim, voltando ao assunto … é claro que eu me ofendi com ele dizendo que eu sou anormal (eu me ofendo fácil) e ontem mesmo liguei pra metade das minhas amigas mais próximas só para saber se eu era anormal mesmo.
Nenhuma delas comemora ativamente, sabem da data (isso eu tb sei!!!), e SE lembrarem ou estiverem a fim elas compram alguma coisa (eu tb!!! Comprei um óleo para cabelos lindo, rico e cheiroso só para os meus cabelos ficarem lindos no dia dos namorados. Tudo isso pro Mick), mas ninguém fica planejando viagens surpresas, jantares surpresas ou presente surpresas (vai ver é pq minhas amigas são tudo sem criatividade igual a mim).
Agora estou oficialmente me sentindo mais perto do resto da civilização.

P.S.: eu não lembro da data do nosso casamento civil mas não é pq eu sou uma pessoa sem coração não. Nós nos casamos por procuração pq Mick tinha que estar na Bélgica nos meses antes do casamento e, fisicamente, eu me casei com um amigo da família e foi tão sem importância que eu me esqueço (para vcs terem uma idéia, eu passei no cartório para casar no caminho pra academia, ou seja, eu posso dizer que fui uma noive hiper-moderna desligada que casou com roupa de academia).

Anúncios

Resolvido

Pensem numa pessoa empolgada.
Agora me visualizem dando pulinhos de alegria!!!!!!

Ontem, em um surto de vergonha na cara, resolvemos todas nossas pendências de viagem e estou me sentindo leve leve leve (sem contar a empolgação).
Acertamos a viagem pro Brasil (ainda tínhamos que comprar as passagens dos vôos internos) e agora posso dizer que chego em Vix dia 22/02 às 10:15. É tão bom saber o horário em que vou chegar em “casa”!!!
Depois viajamos dia 07/03 para dois diazinhos em SP (snif, snif … mas não dava para ser mais tempo!!).

Fechamos Londres (ferry + hotel) todinha.
E agora só falta eu começar a ler meu livro novinho, bonitinho, cheio de fotos sobre turismo em Londres e programar o roteiro.

Fechamos Berlim (que foi o mais complicado pq eu não sabia onde ficava nada e nem o que queria ver!).
Também compramos um livro de turismo em Berlim para facilitar e, sinceramente, eu não sei como vivi tantos anos sem esses livros! (tá, é pq eu não viajo muito e pq eu sou enrolada com viagens)
Vamos ficar três dias em Berlim e eu já sei exatamente o que eu quero ver (queria MUITO ir em alguns museus mas com a Rafa eu sei que não vai dar), e sei onde deveria ficar hospedada.
Como a maioria dos monumentos, igrejas e lugares que eu quero ver ficam na área de Unter den Linden, nada mais normal do que ficar por ali. Mas o motivo principal de estarmos indo para Berlim é pq vamos nos encontrar com um amigo do Mick que chega na noite antes de voltarmos, portanto, temos que prioritizar (??) nosso tempo com ele. Resultado: vamos ficar em um hotel na área de Tiergarten (mesmo hotel que esse amigo e a esposa estão ficando).
O hotel fica à 1km do museu “Topographie des terrors” e à 1.5km do “Checkpoint Charlie” que são coisas que eu e Mick (respectivamente) queríamos visitar. Então não é de todo mal.
De resto é só andar bastante e isso é tranquilo tranquilo (é só torcer para não chover pq Rafa vai conosco!).
Falta montar nosso roteiro exato (nós só conseguimos concordar com a decisão do hotel ontem bem e eu já tava sem saco), depois eu coloco aqui e vcs, que já conhecem Berlim, podem dar pitaco.

Agora a grande surpresa foi que fechamos nossas férias de verão: uma semana em Kreta (Heraklion) em setembro!!!!
Mick queria resort all in e eu queria uma das ilhas gregas; Mick queria duas semanas e eu uma semana (pq eu quero ter mais dias off para tirar durante o ano … e Mick tem um monte); Mick queria calor escaldante e eu queria uma coisa mais amena (já não me basta ir pro Brasil esse mês ficar assando no sol!).
E mesmo eu tendo a mais absoluta certeza de que iríamos brigar horrores (por uma semana) por causa dessa viagem, a decisão foi tomada rápida e sem atritos (só o vôo é que me deu dor de cabeça pq Mick queria voar a partir de Bruxelas mas eu não estava a fim de chegar em pleno domingo às 02:00 da manhã quando tinha um vôo para Charleroi chegando às 19:45, mas até isso foi resolvido em uns 3 minutinhos. Um novo record!).
Ficamos na dúvida com três resorts no final das contas e o tripadvisor foi quem nos ajudou a escolher um deles.
Eu ACHO que conseguimos fechar tudo por um *puta* preço, mas eu nem vou falar o valor aqui não pq toda vez que eu acho alguma coisa barata, eu conto pra alguém e a pessoa quase morre pq na verdade não é nada barato (né Mari?!!!!) … então deixa eu me enganar um pouquinho achando que eu estou paganto uma super bagatela *rs.

Agora diz Mick que já tá bom de viagem pra esse ano pq é muito cansativo.
Agora pensem: de todas as viagens planejadas, nós nem começamos a VIAJAR ainda!!!!
O bom é que os meus outros planos nesse ano não entram na categoria “viagens” na cabeça dele pq são lugares que ele considera perto e dá pra ir de carro:
– Disneyland Paris por um dia em Julho (2h50min de carro)
– Paris por um final de semana qualquer (3h35min de carro, da minha casa até o Arco do Triunfo)
– Dover por um dia para ver o castelo (1h50min de casa até Callais + 1h30 de ferry até Dover)

Aniversário

Uma das maiores discussões que eu e Mick tivemos no ano passado foi sobre presentes.
Não exatamente pelo lado fútil do presente, mas sobre um aspecto mais aprofundado.
Mick sabe exatamente o que dar de presente para cada um de seus colegas no trabalho. Tipo, coisa super original que é a cara da pessoa, sabe?!
E quando o assunto sou eu, ele simplesmente age como se não me conhecesse.
Eu não ligo se ganho presentes caros, baratos, usados, etc … acho que o que conta é saber que alguém se preocupou em procurar algo que é a sua cara. E Mick é ótimo pra isso, com os outros.

No meu aniversário do ano passado um amigo dele ligou para dizer que estava em uma loja de coisas pra casa e tinha visto uma wok elétrica na promoção, perguntou então se eu gostaria de ganhar uma.
Agora, vamos aos fatos: na época tínhamos 6 anos de casados, 8 anos juntos. Nesses 8 anos eu devo ter comido wok cinco vezes no máximo e tenho certeza absoluta que reclamei horrores essas cinco vezes.
Eu não gosto de wok. Não só não gosto de comer wok, como odeio ter parafernália de wok em casa pq ocupa muito espaço (e nem pode limpar devidamente: com muito detergente e esfregação).
A resposta de Mick para o amigo: “ah ela vai gostar sim, ela gosta dessas coisas de cozinha”.
Tipo, eu curto cozinhar e adoro comprar coisinhas novas, mas de onde que Mick tirou que eu super curtiria ganhar uma panela tamanho jumbo de aniversário???!!!!!
Podia ter dito “cara, ela não vai gostar não. Mas tipo, nem precisa de presente!!!!”.

Meu aniversário veio seguido do fiasco de natal/2008 (ele ganhou um X-Box 360 e eu re-ganhei um livro do Jamie Oliver que havia comprado em novembro). Semanas depois ele ficou encarregado de comprar presentes de despedida de uma menina do escritório que estava indo fazer uma viagem de três meses pela América do Sul, e comprou umas coisas super legais.
Eu devia de estar de TPM na época e não deixei passar em branco … brigamos.

Depois disso ele tem feito de tudo para nunca me perguntar diretamente o que é que eu gostaria de ganhar e tem se esforçado para acertar nos presentes (nós sempre fazemos wish lists para facilitar a vida um do outro).
Uma das mudanças mais dramáticas veio nesse natal: ele me deu uma bolsa roxa do Marc Jacobs que eu estava namorando há tempos (e eu sei que isso doeu em cada célula do corpo dele pq Mick é daqueles que acredita que bolsa tem que custar no máximo 100 euros … e essa bolsa, custou bem além) e manteve tudo surpresa (pq eu quero morrer quando eu já sei o que vou ganhar de natal!! Perde a graça sentar embaixo da árvore e saber exatamente qual pacote é seu).
Eu fiquei nervosa o mês de dezembro inteiro pq juro, se eu ganhasse mais alguma coisa pra cozinha, ia fazer greve de cozinhar pelo resto de 2010!

Segunda-feira na hora do almoço eu pedi pra ir no shopping com ele pq queria passar na MAC e, como eu não fiz wish list nenhuma, vi que ele estava nervoso sobre o que comprar.
Então eu disse que, se ele quisesse, iria supervisionar a escolha dele (pq eu só faço questão de surpresa no natal).
O primeiro lugar que fomos foi uma perfumaria e eu já estava certa que ele ia comprar o Lola (Marc Jacobs) ou o Idole d’Armani (Armani) que foram os únicos itens da minha lista que não comprei quando minha irmã estava aqui (por pura usuragem).
Eu quase morri quando ele passou direto pela parte de perfume e foi na gôndola de maquiagem da Chanel.
Tipo, MICK comprando maquiagem pra mim??? No way! Ele só podia estar tentando me enganar!!
Aí vejo ele perguntando algo pra moça e fui perto perguntar o que é que ele queria (pq eu nem lembrava de querer nada da Chanel e tenho medo de Mick comprando maquiagem pra mim pq ele não sabe diferenciar sombra de blush!).
Ele: “vc colocou um post-it na sua revista, dizendo que queria uma coisa daqui”
eu: “mas era o que??? Sombra, blush, pó???!! Pq eu quero um milhão de coisas que eu vejo em revista, depois nem lembro o que é. Vc sabe que não pode dar muita confiança para as minhas listas de revista …”
Ele: “ah, não sei o que era! Era um pó e vinha numa caixinha dessas ó” (e me mostra as caixinhas com blush dentro)
Eu: “mas olha aqui, as caixinhas de sombra são iguais. Tem que saber o que tá procurando pq maquiagem não se compra por caixinha”
Ele: “mas não é essa, a da revista tinha uns negócios escritos no pó” (eu deduzi que ‘os negócios escritos’ só podiam ser a logomarca da Chanel)
Aí ele vira pra trás pra ir procurar a moça e dá de cara com a coleção de primavera.
O que ele queria comprar pra mim era o pó finalizante da nova coleção (que eu realmente tinha marcado na Glamour como “item que eu não posso deixar de comprar”):

Gente, Mick comprou maquiagem pra mim!!!
Mick + maquiagem!!!!!
Acho que essa foi a maior surpresa que eu já ganhei dele desde que nos casamos!!!
NUNCA que eu diria que ele compraria maquiagem (pq ele prefere que eu não use e pq ele acha tudo um roubo de tão caro)

Ele também me deu um colar e um par de argolas da Swarovski que é exatamente o que eu queria (algo simples e básico para compor looks corriqueiros).

Tenho um marido renovado!!!!

Mudança de planos

Adivinhem?!
Mudamos nossos planos de férias de novo =p
Dessa vez decidimos que vamos ficar na Bélgica e vamos alugar uma casa em Ardennen (região de “montanhas” daqui – leia-se: montinhos de terra sedimentada que, por falta de montanhas de verdade, eles chamam de montanhas) e vamos pra lá por uma semana com uma amiga nossa e seus dois filhotes.
Pq decidimos não ir pra Espanha?! Pq eu sou mão de vaca!
Os hotéis legais que eu achei estavam somando uns 2500 euros para nós três, no mínimo. Se quisesse um quarto mais confortável (o que eu SEMPRE quero), iríamos pagar uns 3500 euros. Se quisesse um hotel mais perto da praia, o valor seria por aí mesmo.
Então, MILAGROSAMENTE essa minha amiga me ligou na semana passada perguntando se eu topava ir pra Ardennen com ela (pq ela tb está morrendo de medo de ter que ficar com as crianças em casa, sem maiores distrações hehehe) e eu, que já tinha esquecido que ela havia proposto isso há semanas, topei na hora.
Eu sei que eu tenho que fazer mais coisas que o Mick curte, mas calmalá …. 3000 eurecas pra passar um semana muvucada, num quarto de hotel +/-, esturricando no sol??!!! É muito pra minha cabecinha!
Fiz aqueeeeeeeeeeeele discurso pro Mick, apresentando todas as maravilhas de irmos para Ardennen e até arranjei uma puta desculpa para a típica pergunta “e se chover??”. Bom, SE chover (vou fazer uma promesa pro santo que controla o clima!), temos a vantagem de estarmos numa casa com outras duas crianças, que vão poder brincar entre si e se manterem ocupados sem eu ter que colocar uma coroa de princesa e ficar girando pela casa imitando a Cinderela!
Sem contar que, além de super divertido, vamos nos cansar menos do que se tivéssemos que tomar conta das crianças sozinhos. E eu não vou voltar das férias sem dinheiro! Uhu!!
No final eu consegui convencê-lo e ele ficou animado.

Em compensação, eu vou TENTAR parar de pedir pra ele ir pra Londres comigo pelo resto do ano.
Próxima mini viagem eu deixo ele escolher e se ele quiser ir mesmo pra parte verde da Escócia, eu libero um guys-only weekend (pq nem por todo amor do mundo que eu vou me enfiar nas highlands da Escócia pra ficar vendo árvore atrás de árvore, tudo tem limite).

Outra novidade:
Tô aprendendo a andar de bicicleta!!! (tô com vergonha pq Rafetes daqui a pouco está tirando as rodinhas e a mãe dela não sabe nem subir na dita cuja!)
Tive minha primeira ‘aula’ no domingo e tipo, tô com as pernas toda raladas por causa das biroscas dos pedais! E ninguém teve a gentileza de me avisar que o seu bumbum fica roxo por causa do selim!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Tô andando igual a uma pata e não consigo sentar direito. M*rda!
Massss, eu não caí espatifada!! Tudo bem que três pedaladas consecutivas era motivo para dar pulinhos de alegria, mas pelo menos eu não caí!!!!
Final de semana que vem, se o meu bumbum me permitir, eu tento de novo!!!

Feriado

Ontem foi feriado e, até melhor do que isso, fez 20°c!!!!!
Passamos o dia em um zoo chamado Planckendael (o zoo que sempre vamos fica praticamente na esquina de casa e nós adoramos mas, na semana passada, nasceu um bebê elefante então eu acredito que os 50% dos belgas que ficaram no país devem ter ido ver o bebê elefante). Esse outro zoo é mais distante (30 min de carro) e eu acho menos interessante porém, o mais legal pra Rafa é: o leão, o elefante, a girafa e os parquinhos com escorregadores e areia. O Planckendael tem muito mais parquinhos espalhados do que o Zoo van Antwerpen.
É claro que eu aproveitei para me empetecar inteira e usar a segunda parte das minhas aquisições na M.A.C.: meu batom vermelho e a minha sombra linda Copperplate!
Fiz Mick tirar várias fotos para eu mostrar mas só vai rolar de eu postar no sábado (hoje tem happy hour e eu estou planejando beber sangrias demais para conseguir fazer um post de noite *rs).
Achei que o batom ia pesar na composição (e no cenário geral: passeio no zoo às 12:00 da tarde) mas não pesou. Tudo depende de quão básico vc deixa o resto do seu rosto (dessa vez eu passei a sombra só para cobrir a pálpebra mesmo, nada para acentuá-la).
Falando nisso, é só o MEU marido que odeia batom vermelho ou o de vcs tb dá trabalho???
Mick ficou me enchendo o raio da paciência o dia inteiro!!!! Lá pelas tantas eu pedi para ele tirar uma foto só do meu rosto pro blog e perguntei se ainda dava pra ver meu batom, a resposta foi “dá pra ver seu batom à 2km de distância!”.
Ô bicho chato!

Mudando um pouco do papo mulherzinha … decidimos o que vamos fazer nas férias de julho (inicialmente estávamos pensando: ou algum lugar onde o mediterrâneo banhe pq eu PRECISO conhecer o mediterrâneo, ou Miami ou férias pelo Reino Unido (Inglaterra, Irlanda e Escócia, pra ser mais exata)).
Nós vamos pra Costa Brava na Espanha … resort all included e por aí vai.
Mick já queria pagar tudo ontem mesmo aproveitando do meu momento de “é né … então vamos …”, mas eu pedi para esperar até amanhã e irmos na agência de viagens para perguntar algumas coisas (tipo, se o hotel é legal mesmo ou se tem algo mais legal).
Tenho certeza que vai ser daquelas praias para aonde a Europa frienta inteeeeira despenca, mas tá, Mick quer ir e ele já foi duas vezes pra Londres comigo, então eu vou fazer os gostos dele (mas ele já está avisado que eu vou pra praia UM dia e se for cheio demais, eu nunca mais coloco meus pézinhos por lá … fico no hotel, na beira da piscina enchendo a cara de coca cola!).

P.S. – não rolou Miami pq eu tô com usuragem de gastar meus dias off para ir em Bruxelas na embaixada americana pro visto.

Decisões

Vamos para o Efteling.
Decidimos ontem a noite, mas bem fiquei tentada com o parque da Looney Tunes na Alemanha!! Próximo final de semana que eu quiser passear assim, vamos lá com certeza! Obrigada pela dica Mari!! Eu sei que eu sempre posso contar contigo para dicas legais de viagem!
Não vamos ficar no hotel (eu queria ficar no quarto da Cinderella) pq temos um brunch pra ir no sábado, então prefiro dormir em casa.
Londres vai ficar pra próxima mesmo.

Ontem saí pra almoçar com o Mick e conversamos muito sobre filh@ #2.
O meu medo de engravidar não é pq eu acho que não vou poder sair, o meu medo é o oposto: eu sei que, se eu quiser sair/viajar, eu vou fazê-lo com ou sem baby #2!
Foi assim com a Rafa e eu me conheço demais para me dar tanto crédito ao ponto de acreditar que eu sou um ser tão ‘unselfish’. Quando a Rafa tinha 7 meses, eu tinha 22 anos e tive uma pequena, mas devastadora, crise de personalidade. Eu queria, aos 22 anos, curtir a vida que se curte aos 22. Queria ir para a balada, queria poder encher a cara uma vez ou outra, queria a liberdade que eu nunca tive (pensem que eu casei aos 18 e adaptei a minha vida à vida do Mick completamente, só que Mick é bem mais calmo do que eu e não sente a necessidade de estar sempre fora de casa ou se reunindo com amigos).
O que me deprimiu muito foi pensar que eu não podia fazer nada do que eu queria pq eu era mãe, que minha vida “normal” tinha acabado pq eu tinha tido a Rafa. Pensava que, da mesma forma que eu tinha detonado meu corpo, eu tinha acabado com uma vida que eu nunca tinha vivido. Tive vários ataques de pânico (não literalmente, mas eu vivia em conflito comigo mesma e ‘in the edge’ de um pequeno desespero). Eu nunca culpei a Rafa e nem a ressenti, eu me culpava por não sido inteligente o suficiente ao pensar em toooodos os aspectos antes de decidir engravidar.
Eu sempre acreditei que vc só faz alguém feliz quando está feliz consigo mesma e foi isso que eu usei como desculpa para poder sair e curtir. Foram milhares de happy hours até tarde com o povo do escritório, vários shows com as meninas, viagens pra Vix para poder ir em micaretas, micaretas em SP mesmo e por aí vai.
Isso só acabou no dia que eu mudei pra Bélgica e foi quando eu percebi o impacto disso no meu casamento (eu saía, Mick ficava com Rafetes em casa jogando os jogos dele no pc). Trabalhamos nisso e depois de uns bons meses, as coisas estavam melhores.
No final do ano passado (eu sou uma pessoa devagar!) eu me toquei do quanto tinha perdido da minha filha! Não acredito que ela tenha sentido a minha ausência durantes tantas noites, mas EU perdi de buscá-la na creche e saber o que estava acontecendo, perdi de colocá-la pra dormir várias vezes e mais um monte de coisas que vieram me doer 2 anos mais tarde! Também não acho que minha ligação com a Rafa seja mais fraca por causa disso, mas eu sinceramente me sinto culpada.
E esse é o meu medo! Eu tô curtindo viagens e, se por causa de um bebê, eu tiver que parar com tudo, eu vou entrar no mesmo ciclo e vou resolver fazer minhas próprias coisas separadamente (pq alguém tem que ficar em casa para cuidar das crianças) e isso vai me custar mais coisas que eu não vou querer enxergar no momento. Eu sou uma pessoa bem selfish de vez em quando. (como que se fala selfish em português????)
Eu expliquei isso pra Mick e ele me propôs que eu viaje agora. Que eu vá pra Inglaterra bastante até eu enjoar da cara da Inglaterra. Que ambos tiremos um findi para ir em Roma e outro para Madri. Que combinemos o passeio à Portugal com um passeio ao litoral português (e a Rafa pode ir junto). Mas o mais importante é que eu combine com as minhas amigas de passar finais de semana girls-only na Inglaterra (tô começando a achar que Mick tá de implicância com Londres pq ele ficou me mandando pra lá sozinha –sem ele!).
E é isso que eu vou fazer … vou procurar amigas que topem um final de semana por aí (pelo menos 1 vez por mês) e quando chegar agosto podemos discutir isso de novo.

Meninas que me perguntaram sobre o carrinho … como eu disse, eu mimei a Rafa pra ficar no colo, e isso não é exagero. Ela até fica no carrinho, mas quando se enche, ela pede colo (pq ela é preguiçosa pra andar sem algo muito interessante – leia-se: brinquedos ou parquinhos). E tb a Rafa só tem daquele carrinho de sentar (o grande dela eu já dei pra uma amiga pq achei que não ia precisar) e eu fico morrendo de pena quando ela dorme no carrinho pq não dá pra deitar, mas não quero comprar um novo e grande pq eu não vou usar por muito mais tempo eu acho (a não ser que eu engravide).
Portanto, Rafa pede colo e enche o saco pra ganhar colo, no final eu sempre dou o colo … e isso ensina à Rafa que quanto mais irritante ela for, mais rápido eu faço essa vontade dela.
Meninas sem baby: NUNCA sigam o meu exemplo pq em três anos vcs vão estar carregando 14 kilos nos braços aonde quer que forem *rs.

1° de maio e baby talk

Eu quero ir pra Londres.
Eu sei que eu devia era ficar em casa no feriado prolongado, sei que ainda não estou em condições de ficar viajando por aí sem ter que sofrer alguma consequência depois (=prolongar a dieta financeira), mas eu quero TANTO ir pra Londres que já está virando obsessão!
Eu já tinha aceitado o fato de que não iríamos para Londres esse semestre pq Mick queria ir pra Escócia ao invés de Londres, mas eu PRECISO de Londres.
Ontem eu passei a noite inteira tentando convencê-lo de que Londres nem ia sair tão caro, que têm passagens em promoção no site da Eurostar, que eu aceito ficar em um hotel mais simplezinho (mas ele sabe que se eu achar o hotel sujo, eu nem entro no quarto), que eu aceito não ir jantar em nenhum restaurante famosinho (eu queria ir em um dos do Gordon Ramsay) e por aí vai. No final das contas ele estava quase convencido, quando me lembrou de uma coisa … Rafetes odeeeeeeeia caminhar por horas e horas. Londres, pra mim, significa bater perna até não aguentar mais –no sentido mais literal da palavra. Eu quero ver absolutamente tudo, quero andar de ônibus double decker o tempo inteiro para alcançar lugares mais distantes, quero ver as pessoas, escutar o sotaque … e já imagino que Rafaela ia aceitar dar uma volta e no momento que ela perceber que pra ela o jogo não é tão vantajoso (não vai ter parquinho pra ela brincar, nem afins), ela vai pedir colo e vai se recusar a andar muito mais (eu mimei a Rafaela com isso e agora tô pagando o pato. Ela adora ficar no colo).
Fiquei com medo de ir (apesar de ainda estar procurando alguma solução pra esse impasse).

Fato é que eu não quero ficar em casa no feriado, quero fazer alguma coisa diferente (na verdade eu só queria Londres mas, como parece que não vai rolar, eu não vou ficar em casa pq vou ficar desapontada).
Estamos pensando então em ir no Efteling (www.efteling.com) ou na Disneyland Paris.
No Efteling eu quero ficar no hotel pq o preço até que é razoável (não é baratinho para um quarto tão simples, mas é razoável e seria só uma noite). Na Disneyland Paris eu não quero ficar num hotel lá dentro pq está um abuso de caro (pelo menos quando eu vi antes de ir pro BR … vou ver de novo hoje).

Vou confessar uma coisa … eu estava planejando um bebê #2 para o ano que vem. Queria parar de tomar o remédio em Agosto próximo e ver no que ia dar. Mas já estou com dúvidas quanto à isso.
Eu nunca fui de viajar muito (e ainda não sou quando o assunto é longas distâncias – BR seria um suplício se não fosse pela família e amigos), mas eu me encontrei com essas city trips que vc faz tão facilmente pela Europa. Eu ainda quero conhecer tantos lugares (geralmente os “lugares” são todos dentro da Inglaterra), quero andar tanto pela terra da rainha … Aí fico pensando no quão difícil é fazer isso com a Rafa (e ela tem 3 anos!!!), imagina com um bebê!
Tá, enquanto eles são recém nascidos ainda dá pra fazer bastante coisa desde que vc esteja preparada e leve em consideração a infraestrutura dos lugares (tem sempre que ter um banheiro perto para a troca de fraldas e etc), mas e quando o bebê fizer um ano … um ano e meio … dois …
Quando é que eu vou comer quindim em Portugal?? Quando é que eu vou passear em Roma?? Quando é que eu vou visitar um zilhão de lugares da Inglaterra??
Talvez se eu tivesse minha mãe por perto eu não teria tanto medo pq sei que poderia contar com ela, mas aqui não é sempre que a Rafa pode ficar com a avó paterna e eu não gosto de pedir muito pq a família do Mick dá umas crises loucas de vez em quando. Ou seja, 98% dos nossos passeios devem ser feitos com a Rafa conosco, o que até dá pra relevar, mas imagina com duas crianças!!
Eu não quero ter que tirar férias só de ir pra praia nos próximos 5 anos pq city trips seriam impossíveis.
Problema é que eu passei os últimos 6 meses azucrinando Mick para que eu engravidasse esse ano de novo e agora ele está animado. Ele não aceita de jeito nenhum uma grande diferença de idade entre filhos e já foi um parto convencê-lo de que 4 anos não é tanta diferença assim … quero ver como que eu o convenço a esperar mais um ano (se eu falar que eu não quero engravidar, ele vai respeitar é óbvio, mas vai dizer que então vamos ter uma filha só: a Rafa).
Ai ai … queria já ter uns trinta e tantos anos para sentir o relógio biológico e me decidir logo ao invés de querer explorar o mundo, mas o fato de eu ter só 25 me dá muita liberdade … eu sei que eu posso esperar mais tempo.
Na verdade, esse é um dos “lados ruims” de se casar tão nova (18 anos) e resolver engravidar nova (21 anos) … eu pulei fases da minha vida e agora fico querendo viver tudo de uma vez só. Mick é quem tinha que se tocar que 30 anos não significa que ele está velho e precisa dar uma acelerada na vida!! Humpf!