Livro, Efteling e Britney

Terminei meu livro …
Gostei do final, gostei do livro inteiro. Gostei da série inteira (só o segundo livro conseguiu me irritar, mas até desse eu gostei).
Achei legal o quarto livro ter sido o último … não sei se existe um ‘plot’ forte o suficiente para carregar um quinto livro sem ser uma mera repetição dos outros ou algo arrastado (Harry Potter it ain’t).
Mas mesmo sabendo que tinha “chegado a hora” é um sentimento tão bittersweet terminar um livro que vc está curtindo.
Eu sei que ainda me resta ler o primeiro livro em inglês (e depois de alguns meses, reler a série inteira pq eu sou nerd), mas não é a mesma coisa.
Hoje me resta enfrentar meu Stephen King – The Dark Half – e get on with it.

Hoje é quinta!!!!!!!! Falta só metade do dia e eu vou estar em casa por 3 lindos e ensolarados dias!!! (whishfull thinking)
Parece que bastante gente está indo para Efteling no findi (ah Mari, vc tinha perguntado e eu esqueci de te responder: eu não quis comprar os ingresos online pq eu não sabia se o tempo ia estar bom. Vou comprar hoje no Delhaize.). Eu confesso que estou feliz por Rafaela ainda ser muito pequena para os brinquedos que atraem a maioria das pessoas!
Espero que o carrosel e a parte da floresta encantada estejam relativamente calmos.

Ahh, e antes de ontem eu escutei no rádio que a Britney Spears estaria vindo fazer um show na Antuérpia! Preciso dizer que eu quase morri dentro do carro???!!!
Vcs não fazem idéia do quanto eu sempre quis ir num show dela!! Do quanto que eu queria estar lá berrando “Sometimes I run …. sometimes I hide … sometimes I’m scared of you but all I really want is to hold you tight, treat you right, be with you day and nighttttttt”.
My dream come true!!!! E Mick até iria comigo se eu não achasse companhia demente o suficiente para ser super fã aos 25 anos e estivesse disposta a pagar um bom dinheiro para assistir lip synching!
Massss como nada na vida é cor de rosa … ela vem exatamente na semana que vamos viajar!!
E o pior de tudo é que nós nem sabemos ainda se vamos viajar mesmo! Vamos ver se tem algum last minute interessante lá para o início de Julho, mas se não encontrarmos nada, vamos ficar por aqui! Imagina se eu fico em casa e NÃO vou no show!!!
Eu tb não quero ir para sentar lááááááááá perto da bilheteria. Quero lugares bons, quero ver tudo de perto!
Ó céus!! Tô quase falando com Mick que eu não quero viajar em Julho!
Vai saber deos quando é que eu vou ter outra chance dessas!!! Cá entre nós, considerando a saúde mental dela, pode ser que ela tenha um breakdown dia desses e passe anos sem fazer shows!!
E vai que daqui a alguns anos ela resolva ser cantora country!!!! Ai céus …

Update: eu vou no show!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Eu tinha confundido a minha semana de férias com a do Mick. As minhas férias são na semana seguinte à do show! Tchudo bem que vou sozinha, mas eu vou!!!!!!!

Home alone

Eu tô contando os segundos para esse feriado começar logo!
Nem é pq vamos pro Efteling nem nada (na verdade, eu já estou até de bem com a idéia de ficar aqui na BE mesmo, ir dar uma volta no parque, deixar Rafa andar de bicicleta a vontade e por aí vai … mas agora Mick quer ir). Simplesmente não vejo a hora de poder dormir até as 08:00, de poder passar o dia sabendo que, tirando a Rafa e o chão imundo da cozinha, eu não tenho obrigação nenhuma!!! Não tenho que colocar uma roupa decente (ultimamente tenho feito vários ‘dia do pijama’ lá em casa hehehe), não tenho que passar maquiagem pra ficar com menos cara de bunda no trabalho e nem ter a correria matinal!
Não vejo a hora!

Hoje Mick vai na feira que eu não quis ir (nós trabalhamos no mesmo setor) e, depois da feira, tem um jantar da empresa dele. Rafa vai dormir na casa da sogra e eu vou ter a casa só pra mim hoje a noite!
Vou aproveitar para tomar banho com meu óleo novo, esfoliar o corpo com meu esfoliante novo da Victoria’s Secret e passar bastante hidratante da Victoria’s Secret tb. Isso com um ambiente cheio de velas de baunilha.
Mick ‘reclama’ que toda vez que eu posso tomar banho em paz, a casa fica cheirando a chiclete por dois dias e a cama fica com um cheiro insuportável de bala hehehehe. Então, todos os dias, eu modero na quantidade de hidratante mas não é minha culpa que eu goste tanto dos cheirinhos doces (hoje em dia eu estou alterando com três hidratantes: o Amber Romance e o Love Spell da Victoria’s e o de framboesa da O Boticário … sem contar os sabonetes esfoliantes que entram em cena uma vez por semana: açai da O Boticário, Strawberry and Champagne da Victoria’s e o de amêndoas doce da L’Occitane pro rosto).
Já dei uma super vasculhada no site da Victoria’s Secret para não ter que ficar triste quando terminar meus hidratantes (se bem que eu comprei dois do Amber Romance que é o meu favorito … mas tô apaixonada com o esfoliante e desse eu só tenho um).

Falando em site da Victoria’s Secret, eu bem queria comprar um vestidinho que eu vi lá … vcs já compraram alguma roupa ou sapato da Victoria’s? Os preços são bem acessíveis mas e a qualidade? (é claro que eu não espero que dure a vida inteira, mas pelo menos algumas lavadas)
E outra pergunta … Cris, eu visto número 40 (na verdade, 40 fica largo, mas 38 fica apertadinho pq eu tenho os quadris largos), qual é o meu número aí??? Eu nunca sei se 40 é 10 ou 8.

Acho que vou dar uma passada no supermecado também para comprar azeitonas e queijo feta, assim faço uma salada com a rúcula que está lá na geladeira e alguns tomates (eu nem vou falar o tanto que eu comi ontem a noite quando abri o armário e dei de cara com o meu saco de serenata de amor … preciso fazer a dieta da compensação).
Vou assistir aos últimos episódios de House que eu ainda não vi (e viva o Digicorder!! – tipo o TiVo daqui), depois vou subir para ler minhas últimas 100 páginas de Breaking Dawn (o último livro da série Twilight).

Acho que se eu não tivesse tanto medo de fantasmas e afins, eu sempre ficaria bem sozinha (o que vai me salvar hoje vai ser House).
E falando em fantasmas e afins, eu TENHO que assistir dois filmes (mas só depois que eu tiver certeza que Mick não vai ter nenhum evento a noite por algumas semanas): Quarantine e The Haunting in Connecticut.
Mick assistiu ao primeiro para pré-aprovar (até pq geralmente eu passo 80% do tempo de olhos fechados e ele tem que narrar o filme pra mim, então algumas vezes ele assiste antes de mim) e o segundo, minha irmã viu no sábado passado e disse que dá medo mas o final ia me tranquilizar a ponto de eu esquecer do medo depois de uns 4 dias.
Vou ver se eu crio coragem no sábado a tarde quando a Rafa estiver dormindo e o sol ainda estiver brilhando lá no céu!

Primavera

Sabe uma coisa que vem me irritando por aqui?!
Comprar roupas!
Eu sei que belga é um povo esperançoso, o sol nem bem brilhou do lado de for a e tá todo mundo empacotando as roupas de inverno para não terem que olhar para os casacos pesados durante os próximos meses. Eu tb faço isso, mas eu não guardo todos os meus casacos e blusas de frio pq eu SEI que sempre tem um dia mais gelado (como hoje: nublado e 10°c).
E é só começar uma temporada e eu começo a me tocar que meu guarda roupa está com falta de alguma peça indispensável. No inverno do ano passado eram blusinhas de algodão sem graça para eu usar por baixo de todas as camadas de roupa. Dessa vez são casaquinhos de meia temporada que eu possa usar por cima das minhas blusas de meia manga (eu tenho casacos de meia estação mas só para verão – outono, e nada para inverno – primavera).
Aproveitei o almoço hoje e fui na Zara comprar uns cardigãs básicos e mais um casaco de tecido mais fino e colorido. Não se acha mais casacos!!!!!!!!
Encontrei alguns de couro (que eu odeio!) e um meio trench coat curto que ficou péssimo em mim. O resto da loja era só roupas leves, roupas de linho, muita roupa branca, vestidinhos (falando nisso, os vestidos de verão na Zara estão bem em conta!) e por aí vai.
Tipowww, eu sei que é primavera, eu sei que tá fazendo sol quase 60% dos dias, mas ainda está fazendo máxima de 20°c COM VENTO!! Não dá pra sair de blusinha sem manga pq se vc passar em algum lugar onde o sol não está batendo, vc quase morre de frio!
Ô povo que vive na esperança!!
Semana passada quando eu fui almoçar com o Mick eu quis sentar na parte interna do restaurante pq achei meio geladinho. Tava sol, mas 14°c não é calor!!! Daí que umas das garçonetes vieram me perguntar se eu não queria sentar do lado de fora no sol, eu fiz alguma piadinha dizendo que meu sangue de brasileiro ainda não aceita a primavera mixuruca daqui como desculpa pra ir sentar no sol. Ela riu e foi atender os clientes lá fora vestida com a sua blusinha de mangas curtinhas e saia. Cara, dois minutos depois eu olhei pra fora e a moça estava toda sorridente mas inteiramente arrepiada!!
Vc via de longe que o braço dela estava extremamente ouriçado.
Agora me fala se vale a pena …
Eu sempre me arrependo de sair com um casaco pq acabo tendo que carregar na mão, mas não rola ainda de sair com blusinha de manga curta quando o sol não está contribuindo com o lugar onde vc está.
E as lojas que simplesmente ignoram esse fato me irritam mais ainda!! Parece que é um complô pra fazer o verão chegar mais rápido “vamos usar só roupas de linho sem mangas pra ver se o santo do tempo fica com pena de nós e manda um calorzão tropical”.

Feiras

Tô hiperventilando!
Acabei de fazer uma coisa que eu NUNCA sonhei em fazer!
Eu acabei de dizer que eu não QUERO ir na feira de seafood que vai acontecer em Bruxelas nessa semana. Acho que vou passar mal!

Eu sou a pessoa mais pulga de feira que existe! Eu sei que dói o pé ficar andando pra cima e pra baixo em uma feira por dias a fio, sei que praticamente não se fecha negócios nessas feiras gigantes (não como armador ou freight forwarder), sei que depois de uns dias eu nem consigo mais linkar o rosto de alguém ao nome no cartão, mas eu acho que é o melhor jeito de vc mostrar a presença da sua empresa no mercado. A sua empresa esteve lá, conversou com fulano e cicrano, se apresentou à Beltrano que nunca ouviu falar no seu nome. É uma experiência bem fora do dia a dia.
Eu geralmente gosto de tudo sobre as feiras, escolher a roupa para ir (até pq eu sempre compro algo novo), preparar meu mapa de visitas, preparar o meu material de apresentação, ficar dando voltas procurando lugar pra estacionar, ver aquela pequena muvuca de pessoas interessadas na mesma coisa que eu. E sempre encontrar os amigos perdidos no mundo que trabalham na mesma área.
Eu amo! … ou amava.
Problema é que eu estou desmotivada aqui.
Eu sempre amei trabalhar na minha outra empresa (até eu ver que eu não estava conseguindo andar pra frente por causa de má organização), eu sempre vesti a camisa de verdade. Trabalho era extensão de casa (lembro que, em SP, eu nem tinha mini depressão na hora que escutava a musiquinha do Fantástico!). Quando eu entrei na empresa nova, eu queria fazer a mesma coisa. Vestir a camisa.
Mas existe um problema … eu não fui contratada para função exata nenhuma. Fui contratada pq o dono não queria me perder no mercado. Fui contratada para assumir uma posição de liderança com o intuito de resolver UM problema (grande, mas era um problema só). Depois de 4 semanas aqui o problema estava resolvido.
Foram meses sem ter o que fazer para encher meu dia. Quando eu reclamava, me davam algumas coisas idiotas pra fazer. Até o dia em que eu fui no chefão e disse que o meu trabalho aqui não valia nem um terço do meu salário e que eu estava sentindo que estava tirando vantagem dele. Ele prometeu mudanças … que vieram 3 semanas mais tarde (pensem que eu ainda fiquei 3 semanas de bunda pro ar aqui dentro depois de ter falado ‘vai lá e contrata um estagiário e vc vai economizar bastante dinheiro’!!!).
Me deram um monte de função besta para encher meu tempo e é assim que tem sido. Eu recebo funções para que eu não reclame mais da falta de trabalho, mas nada importante ou onde eu possa mostrar o quão bem eu trabalho (por exemplo, minha última task é ligar pra metade dos exportadores da Índia para oferecer nossos serviços. Eu tenho uma lista com 800 nomes de empresas para ligar, pessoas que nunca ouviram o meu nome/nome da empresa e que eu nem sei se são importantes no mercado … eu quero morrer toda vez que vejo minha pastinha com post-it amarelo “New customers ex India”). Eu já esperneei bastante dizendo que não queria fazer isso (só pro Mick e pra minha amiga daqui), mas vou fazer sim. Vou fazer pq foi isso que me pediram, mesmo que eu saiba que até eles acham que é perda de tempo.
Eu acho uma pena que a crise tenha batido tão forte, que meu setor tenha sofrido tanto, que a minha empresa antiga tenha demitido 50% de seus empregados só no escritório da Bélgica, mas já decidi que aqui eu vou fazer o que me pedirem, vou performar as funções que me forem dadas mas assim que o mercado reagir e as coisas se estabilizarem (espero que a partir da metade do ano que vem) eu vou procurar algo novo. Algo que eu goste e onde eu me sinta uma adição ao invés de uma pessoa que ganha o salário que ganha pra ficar sentadinha fazendo nada.
Por isso não quis ir na feira. Eu passar o dia andando atrás das pessoas do meu departamento sem poder conversar decentemente com as pessoas (pq eu não estou participando tão ativamente do mercado) e, mais uma vez, receber meu dia de trabalho pra ficar sorrindo igual uma idiota.
Eu sei que feira é legal para network e, por isso também, eu pedi para não ir. Eu não vou lá para mostrar pra todo mundo que eu sou uma ninguém com um títulozinho legal. Preferiria ser aquela sem título nenhum que sabe conversar com os clientes, que sabe quem são os clientes, que sabe exatamente quais tráfegos pode atender … como era no meu primeiro emprego.
Mas calma que essa crise vai passar ….

Findi

Vai fazer sol até o meio dia … depois vai chover.
Xeu correr ali no zoo com a Rafa.

Só vim avisar que as fotos da viagem estão no orkut.
Vou colocar algumas aqui tb …

Primeiro dia de sol

Indo pra praia - segundo dia de sol

dsc08848-small1

Terceiro dia de praia
* queria mostrar o resultado da bola mas eu parei de fazer abdominais umas duas semanas antes de ir e, como só choveu em Vix, todos os meus programas envolviam muuuuitas calorias … essa foto foi tirada no final das férias (+3kgs!). Quando eu voltar a levar a bola a sério, eu mostro uma foto tipo antes e depois ;o) (vou continuar fazendo marketing da bola hehehehe)

Crise e babies

Isso de segundo filho ainda tá dando pano pra manga.
Mas antes de eu contar os últimos acontecimentos, preciso falar uma coisa …

Erika, não me importo de vc expressar suas opiniões e nem as acho polêmicas. Se eu postei aqui no blog tenho que estar preparada para escutar coisas que eu goste e que eu não goste (desde que se mantenha o respeito). E além do mais, eu bem concordo contigo =o)
Então bem vinda à caixinha de comentários.

Pronto, agora os últimos acontecimentos: ontem fui almoçar com uma amiga (que deve ir pra Londres comigo no final desse mês. Yay!!) e estávamos conversando sobre babies e talz quando eu contei que estava na dúvida. Primeiro ela quase caiu da cadeira pq ela sabe que eu passei 8 meses tentando convencer o Mick de que 4 anos de diferença entre filhos não era nada demais (Mick queria no máximo dois anos de diferença, quando a Rafa fez 18 meses e eu não queria engravidar, ele meio que decidiu que não queria mais filhos e, por isso, foi um parto convencê-lo a tentarmos baby #2). Daí que ela veio me apresentar outro lado da estória, o lado onde existe credit crunch e recessão financeira.
Segundo ela, eu deveria engravidar agora para poder ter garantia total do meu emprego (isso pq minha empresa não está mostrando o menor sinal de recessão) e poder estar de volta antes do verão do ano que vem para que eu pudesse ainda curtir e decidir se eu quero tomar outro rumo profissionalmente (é que eu tô sentindo MUITAS saudades de trabalhar em armadores/carriers e estava pensando se eu não gostaria de voltar quando a crise passar – ano que vem).
Eu nunca tinha pensado por esse lado (acredito que deliberadamente) e, por mais que isso faça sentido pra muita gente (uma menina aqui do escritório começou a tentar engravidar quando o namorado perdeu o emprego no ano passado e os prospectos no meu setor não eram dos melhores), eu acho tão injusto engravidar por esse exato motivo!!
Eu expliquei pra ela que, se eu acho que não estou preparada para Agosto, só de me imaginar grávida agora, tenho crises de desespero!!!
Eu não quero focar muito no meu “eu não quero engravidar esse ano” pq acho que já explorei isso bastante e vou seguir o conselho do Mick … viajar bastante com minhas amigas, com ele e com ele + Rafa. Mas queria poder entender esse lado de “vou engravidar pra garantir meu emprego por uns bons 13 meses”.
Uma outra amiga minha engravidou no ano passado antes da crise bater e eu fiquei aliviada por ela quando vi que a empresa dela demitiu 50% (!!!) dos funcionários para cortar custos. Mas acho que só fiquei aliviada pq eu sabia que era o que ela queria há muito tempo, sabia que os motivos por trás da gravidez eram pessoais, uma decisão dela e do marido independente de crise.
Essa menina que trabalha comigo agora agiu contrariamente. Tivemos muitos papos no ano passado quando ela, repetidamente, disse não estar preparada para um filho tão cedo. Quando o namorado dela perdeu o emprego em decembro/2008, me lembro que ela estava bastante preocupada. No final de janeiro ela começou a comentar que era melhor engravidar logo pq o namorado ainda não tinha encontrado emprego e que o salário dela estaria pelo menos garantido (mais a ajuda do governo quando se tem filho). Quando eu voltei do BR agora ela veio contar que tinha conseguido engravidar.
Eu sei que ela está feliz com a gravidez, sei que o namorado tb está feliz e sei que eles vão formar uma família feliz e talz mas eu acho que, pq eu tb tomei uma decisão meio rápido demais da primeira vez, eu fico com o pé atrás sobre como ELA vai se sentir quando perceber que TUDO na vida dela mudou.
É claro que tem gente que nasce pra ser mãe (não é o meu caso … apesar de eu sempre ter sentido um amor fora do normal pela Rafa, ser mãe foi algo aprendido com o tempo e não um estado de espírito que me definiu no momento que eu vi a primeira ultrasonografia), mas será que, quando vc decide ter filhos para se livrar da recessão financeira, vc não se ‘arrepende’ em momento algum?!
Para mim a decisão de ter um filho é algo meu e do meu marido, sem influências. É claro que é bom escutar o que outras pessoas pensam caso vc se encontre em dúvidas mas, no final, é uma decisão nossa, levando em consideração só nós dois. Mick leva a Rafa em consideração, eu não (acho que irmão é irmão independente da diferença de idade … e pouca diferença de idade não garante que seus filh@s serão melhores amigos). Eu considero meu estado emocional; minha capacidade de levar uma gravidez adiante, engordando e tudo mais; minhas vontades, gostos e sonhos e tb o lado financeiro. Depois eu analiso pelo lado do Mick e sentamos para ver o que achamos da idéia em geral.
Talvez eu seja ingênua, mas eu nunca pensei na crise e nem na segurança de um emprego como um fator determinante nessa equação toda. Para mim é uma coisa que vc decide em dois, para o momento certo para os dois e não no momento em que vc acha que seu emprego pode estar na linha.

Decisões

Vamos para o Efteling.
Decidimos ontem a noite, mas bem fiquei tentada com o parque da Looney Tunes na Alemanha!! Próximo final de semana que eu quiser passear assim, vamos lá com certeza! Obrigada pela dica Mari!! Eu sei que eu sempre posso contar contigo para dicas legais de viagem!
Não vamos ficar no hotel (eu queria ficar no quarto da Cinderella) pq temos um brunch pra ir no sábado, então prefiro dormir em casa.
Londres vai ficar pra próxima mesmo.

Ontem saí pra almoçar com o Mick e conversamos muito sobre filh@ #2.
O meu medo de engravidar não é pq eu acho que não vou poder sair, o meu medo é o oposto: eu sei que, se eu quiser sair/viajar, eu vou fazê-lo com ou sem baby #2!
Foi assim com a Rafa e eu me conheço demais para me dar tanto crédito ao ponto de acreditar que eu sou um ser tão ‘unselfish’. Quando a Rafa tinha 7 meses, eu tinha 22 anos e tive uma pequena, mas devastadora, crise de personalidade. Eu queria, aos 22 anos, curtir a vida que se curte aos 22. Queria ir para a balada, queria poder encher a cara uma vez ou outra, queria a liberdade que eu nunca tive (pensem que eu casei aos 18 e adaptei a minha vida à vida do Mick completamente, só que Mick é bem mais calmo do que eu e não sente a necessidade de estar sempre fora de casa ou se reunindo com amigos).
O que me deprimiu muito foi pensar que eu não podia fazer nada do que eu queria pq eu era mãe, que minha vida “normal” tinha acabado pq eu tinha tido a Rafa. Pensava que, da mesma forma que eu tinha detonado meu corpo, eu tinha acabado com uma vida que eu nunca tinha vivido. Tive vários ataques de pânico (não literalmente, mas eu vivia em conflito comigo mesma e ‘in the edge’ de um pequeno desespero). Eu nunca culpei a Rafa e nem a ressenti, eu me culpava por não sido inteligente o suficiente ao pensar em toooodos os aspectos antes de decidir engravidar.
Eu sempre acreditei que vc só faz alguém feliz quando está feliz consigo mesma e foi isso que eu usei como desculpa para poder sair e curtir. Foram milhares de happy hours até tarde com o povo do escritório, vários shows com as meninas, viagens pra Vix para poder ir em micaretas, micaretas em SP mesmo e por aí vai.
Isso só acabou no dia que eu mudei pra Bélgica e foi quando eu percebi o impacto disso no meu casamento (eu saía, Mick ficava com Rafetes em casa jogando os jogos dele no pc). Trabalhamos nisso e depois de uns bons meses, as coisas estavam melhores.
No final do ano passado (eu sou uma pessoa devagar!) eu me toquei do quanto tinha perdido da minha filha! Não acredito que ela tenha sentido a minha ausência durantes tantas noites, mas EU perdi de buscá-la na creche e saber o que estava acontecendo, perdi de colocá-la pra dormir várias vezes e mais um monte de coisas que vieram me doer 2 anos mais tarde! Também não acho que minha ligação com a Rafa seja mais fraca por causa disso, mas eu sinceramente me sinto culpada.
E esse é o meu medo! Eu tô curtindo viagens e, se por causa de um bebê, eu tiver que parar com tudo, eu vou entrar no mesmo ciclo e vou resolver fazer minhas próprias coisas separadamente (pq alguém tem que ficar em casa para cuidar das crianças) e isso vai me custar mais coisas que eu não vou querer enxergar no momento. Eu sou uma pessoa bem selfish de vez em quando. (como que se fala selfish em português????)
Eu expliquei isso pra Mick e ele me propôs que eu viaje agora. Que eu vá pra Inglaterra bastante até eu enjoar da cara da Inglaterra. Que ambos tiremos um findi para ir em Roma e outro para Madri. Que combinemos o passeio à Portugal com um passeio ao litoral português (e a Rafa pode ir junto). Mas o mais importante é que eu combine com as minhas amigas de passar finais de semana girls-only na Inglaterra (tô começando a achar que Mick tá de implicância com Londres pq ele ficou me mandando pra lá sozinha –sem ele!).
E é isso que eu vou fazer … vou procurar amigas que topem um final de semana por aí (pelo menos 1 vez por mês) e quando chegar agosto podemos discutir isso de novo.

Meninas que me perguntaram sobre o carrinho … como eu disse, eu mimei a Rafa pra ficar no colo, e isso não é exagero. Ela até fica no carrinho, mas quando se enche, ela pede colo (pq ela é preguiçosa pra andar sem algo muito interessante – leia-se: brinquedos ou parquinhos). E tb a Rafa só tem daquele carrinho de sentar (o grande dela eu já dei pra uma amiga pq achei que não ia precisar) e eu fico morrendo de pena quando ela dorme no carrinho pq não dá pra deitar, mas não quero comprar um novo e grande pq eu não vou usar por muito mais tempo eu acho (a não ser que eu engravide).
Portanto, Rafa pede colo e enche o saco pra ganhar colo, no final eu sempre dou o colo … e isso ensina à Rafa que quanto mais irritante ela for, mais rápido eu faço essa vontade dela.
Meninas sem baby: NUNCA sigam o meu exemplo pq em três anos vcs vão estar carregando 14 kilos nos braços aonde quer que forem *rs.