Línguas

Eu comecei esse post na semana passada, não consegui terminar, mandei para o meu email pessoal para terminar no final de semana em casa, mas não tive tempo!
Estamos bem enrolados com nossa mini reforma em casa.
Eu simplesmente odeio ter a sensação de que não posso descansar no final de semana pq TENHO quer terminar de fazer alguma coisa.
Parece besteira, até pq sábado é dia de faxina e eu nunca liguei mas é a obrigação de fazer algo que me irrita. Passei o final de semana bem, mas irritada pq TINHA que terminar a cozinha (ainda não terminei!!!!!!!!), pq TÍNHAMOS que limpar a área externa, pq TINHA que dar um jeito nas montanhas de roupa para guardar que estavam nas poltronas do meu quarto e pq TINHA que limpar a casa pq já estava passando dos limites.
Vcs sabem, se eu me estresso, eu páro de comer mas se é qq outro sentimento, eu como desesperadamente. Passei o final de semana comendo MUITO, irritada com a falta de tempo e com as zilhares de coisas chatas que ainda tinha pra fazer.
No final das contas parece que, ao invés de um final de semana, eu só tive meio dia de folga entre uma semana e outra. Affe.

Enfim, vamos ao post …
Muita gente já viu a confusão que deu no Twitter da Xuxa na semana passada (a Denise explicou direitinho no Síndrome de Estocolmo) e eu queria pegar carona nessa discussão para comentar sobre um assunto relacionado que sempre me intrigou muito.
Não quero julgar (pq deos sabe o quanto que eu erro criando minha própria filha; quem sou eu para dar pitaco na vida dos outros!) e nem vou usar a Sasha como exemplo, mas sim um casal de amigos e suas escolhas para os seu filhos.
Logo que mudamos para SP conhecemos um casal extremamente simpático que tinha (tem) dois filhos adolescentes. Esse casal faz parte da minoria brasileira, também conhecida como classe social A.
Eles não são esnobes em nada, não usam somente roupas de marcas e designers, não esbanjam com “futilidades”, não limitam suas vidas à passeios no shopping e não são cercados de dezenas de serviçais cujos os nomes eles nem sabem. Não fosse o local onde moram e algumas escolhas, ninguém os julgaria como pessoas com poder aquisitivo tão alto.
Uma dessas escolhas foi a escola dos filhos: ambos estudam naquela escola em SP que é o equivalente da Escola Americana do Rio (eu sempre esqueço o nome!!! É onde os filhos dos famosos e ricos de SP estudam). A escolha não foi feita por status, nem mesmo por segurança, mas sim pq essa era a escolha ideal para o estilo de vida deles.
Ele, o pai, trabalha em uma empresa francesa hoje em dia mas morava nos EUA quando os filhos nasceram, onde cursava mestrado, e depois doutorado. Havia sido enviado pela empresa onde trabalhava naquela época e, apesar de ambos serem brasileiros, eles sabiam da possibilidade de nunca voltarem ao Brasil.
Quando voltaram ao Brasil, decidiram por essa escola para seus filhos pq abriria portas para estudos no exterior (essa escola de SP é ligada à Universidade de Oxford). Os filhos cresceram tendo como língua primária o inglês e obviamente falam essa língua com maior desenvoltura que o português, apesar morarem no Brasil por maior parte de suas vidas.
Nos conhecemos no ano em que o filho mais velho tentava vestibular para medicina. Primeiro que ele não queria sair do Brasil para estudar fora por enquanto pq queria construir sua vida próximo à família. Segundo que ele tinha uma seleta lista de universidades/faculdades onde queria estudar, leia-se as mais conceituadas de SP.
Além de ser muito inteligente, ele é um menino muito estudioso. Se esforça para conseguir o que quer, organizava grupos de estudos, passava madrugadas estudando e todas as outras coisas que eu nunca fiz.
Quando chegavam os resultados das provas, no entanto, era a mesma coisa: desempenhos excepcionais em química, matemática, física e biologia, enquanto ele mal pontuava um terço da prova de português.
Durante um ano me lembro que ele fez aulas de reforço intensivo para português e se matriculou em um cursinho famoso de SP (que eu tb já esqueci o nome), tudo isso para poder passar no vestibular onde a sua educação o atrapalhava.
Sua irmã estava na oitava série e, certamente, passará pelo mesmo caminho árduo caso queira prestar vestibular no Brasil.

Os erros que eles cometem são os mesmo erros que a Rafaela provavelmente irá cometer, são erros cometidos por crianças criadas com outra língua mãe, ou erros que ligamos à pessoas com baixa escolaridade.
E é isso que me fez pensar … até onde vale a pena valorizarmos uma língua acima daquela local??
Aqui na Bélgica, por exemplo, sabe-se que a maioria das famílias muçulmanas preservam sua língua e costumes. Isso, aliado ao fato de eles se socializarem quase exclusivamente com famílias do mesmo grupo, resulta em uma diferença enorme na fala e gramática de seus filhos, que só tem contato com o holandês na escola.
Eu sempre digo que errei com a Rafa por não ter insistido no português quando mudei pra cá, mas isso era fruto do meu medo (somado ao meu profundo descontentamento de ter mudado para a Bélgica novamente). Eu tinha pavor de a Rafa querer alguma coisa na creche e fazer o pedido em português. Tinha pânico ao pensar que ninguém entenderia minha filha e, como resultado, eu passei a falar holandês com ela também.
Isso só mudou mesmo depois que minha mãe veio pra cá no ano passado e eu percebi que minha filha brasileira mal conseguia se comunicar com a avó, mas mesmo assim preciso me policiar MUITO para não voltar a falar holandês com ela.

O problema no Brasil é que escolas desse tipo viraram parâmetros para medir importância social e ISSO eu acho errado. Acho errado impor uma língua que não é local, uma língua que na verdade “poucos” falam, como a língua primária de seu filho simplesmente pq os filhos de fulana-apresentadora ou fulana-primeira dama estudam na tal escola.

Ufaaa

** achei que já tinha postado esse!!!!

Dias corridos e vazios, sabem como é?!
As coisas andaram apertadas no escritório por causa de férias no meu departamento e tudo o que eu queria fazer em casa era deitar e ver televisão.
Também havíamos começado a última temporada de 24 e, eu & Mick só sabemos assistir 24 em clima de maratona, só aceitando a derrota para o sono quando realmente não dá mais.
Por isso sumi do blog …
Outro motivo para o sumiço foi a falta de assunto:
Eu estou evitando gastar, então não tenho novas aquisições para debater aqui no blog + semana passada fez calor a semana inteira e, por isso, até de maquiagem eu desisti (em termos, eu só desisti da sombra, na verdade).

Também passei a semana passada envolvida com algumas coisas que quero contar aqui:
1 – eu já contei que a época do ano mais difícil para mim é época de natal e ano novo?! Tenho certeza que eu não sou a única e tenho certeza que muitas pessoas que moram longe da família e amigos, se sentem exatamente da mesma forma que eu.
Eu cresci com festas de natal e ano novo enormes. Com muita gente, com muita comida, com muitos presentes, muitas gargalhadas e muitas brincadeiras. Natal sempre foi a época que nos reuníamos com os meus tios (irmãos da minha mãe), tias e prim@s. Sempre curtimos bastante (em especial eu, minha irmã e mais um casal de primos que eram da mesma idade que nós duas). O tempo passou e os natais viraram ceias para duas famílias: meus pais, eu e minha irmã + meu tio, sua esposa e meus dois primos (esses que eram da mesma idade que eu e minha irmã), mesmo assim a diversão era a mesma. Ano novo era festa para a família inteeeeeeeeira (essa eu curtia menos pq era muita gente que eu nem via durante o ano, mas não achava ruim).
Aqui na Bélgica a estória é mais ou menos assim: a mãe de Mick vai viajar com o marido para algum canto gelado da Europa; o irmão mais velho vai com a namorada para alguma festa onde eles não precisem contribuir com ajuda nenhuma para preparação (ou seja, se eu convidar para ceiar lá em casa, eu tenho que ter em mente que, mesmo que eu trabalhe todo santo dia 24/12 até as 15:00, eu sou responsável pelo jantar, sobremesa e bebidas pq a bonita, que não trabalha, quer evitar a fadiga); e o irmão do meio passa na casa da família da namorada.
Não me levam a mal, eu sei que minha família é Mick + Rafa (e confesso que prefiro passar o natal sozinha do que com qualquer uma das três opções acima), mas fazer ceia só para mim e para o Mick é péssimo!! Nós comemos, colocamos Rafaela na cama, bebemos alguma coisinha e vamos ver um filme. Vide: todo sábado a noite!
Eu sinto falta da casa cheia, da troca de presentes, de um monte de gente comendo e bebendo. Sinto falta de casa.
E, já entrando em desespero por causa do natal desse ano, resolvemos convidar minha irmã para vir passar o natal conosco e ela aceitou!!!
Passei uma boa parte da semana pesquisando valores, companhias aéreas, datas e horários, no fim compramos uma passagem pela TAP com conexões entre vôos bem legais! Agora é só esperar :o)

2 – aproveitamos e compramos nossa passagem para o ano que vem também*.
Viajamos no dia 21/02 e voltamos no dia 08/03. Compramos a passagem só até SP, assim temos tempo de decidir quanto tempo devemos ficar por lá antes de irmos para Vix.

3 – decidimos os principais detalhes da festa da Rafa.
Fechamos o cerimonial e a decoração. Agora falta o fotógrafo, alguém para fazer a maquete do bolo, alguém para fazer os pirulitos + bombons decorados, definir a decoração da mesa dos convidados e pronto.
Roupa para a Rafa eu vou deixar para ver no Brasil, então não tenho que me preocupar tão cedo.
Roupa para mim eu vou comprar aqui quando for lançada a coleção de primavera em janeiro do ano que vem.
E olha, mesmo sendo uma escolha minha gastar tanto com essa festa, eu ainda não entendo como que as pessoas no Brasil estão se dispondo a pagar de 12 à 25 mil reais numa festa!!!!!!!!
Eu cortei bastante coisas na festa da Rafa para chegar à um total decente e tenho certeza que a festa dela não vai ter tantas coisas quanto poderia, mas peraí gente, 12 mil é muito dinheiro!!! (essa foi a soma que uma amiga minha acabou de pagar no aniversário da filha dela de 1 ano … quando eu souber do total da festa da Rafa, eu conto aqui, mas já adianto que não vai chegar nem perto dessa quantia).

* Para quem quer viajar para o Brasil em fevereiro/março de 2010, as companhias aéreas estão com promoções abertas. Dêem uma olhada na agência de viagens.

Dúvidas

No Dashboard do WordPress vc pode ver quais foram os termos procurados em motores de busca (Google, etc) que levaram alguem ao seu blog.
Todos os dias vc encontra coisas engraçadas (para mim o top é a quantidade de pessoas que acham que o Google é uma espécie de guru e pergunta coisas do tipo “eu conheci um belga e agora?”), mas sempre tem perguntas ou termos que aparecem pelo menos uma vez por semana. E, pensando nisso, resolvi responder algumas perguntas para ajudar ao povo desavisado que vem parar aqui:

1 – Como ir de Amsterdam/Rotterdam para Brugge (Bruges)?
Talvez o povo que mora na Holanda tenha respostas mais corretas já que eu nunca fiz o trajeto Rotterdam ou Amsterdam para Brugge, mas dá para responder com segurança:
Considerando que eu estou falando com algum turista que não está na Holanda de carro, a melhor maneira de ir para Brugge é de trem.
Tanto na Bélgica quanto na Holanda vc encontra várias opções de empresas férreas e, geralmente, vários trens partindo por dia.
Para vcs terem uma idéia: fazendo uma pesquisa na belga NMBS, uma viagem de Amsterdam (estação central) para Brugge (estação St. Pieters) dura uma média de 4h20min (a viagem é feita com parada na Antuérpia) e custa 86 euros por adulto (2a classe), por trecho.
Se vc vai passar alguns dias na Holanda e quer ir para Brugge depois não precisa de desespero para comprar as passagens de trem pq a oferta é grande, mas eu certamente não deixaria para comprar na última hora pq existe o risco de vc não conseguir um trem no horário mais ideal.

Se vc está com um carro na Holanda e quer ir para Brugge eu aconselharia a dar uma olhada no site MAPPY.

2 – Como cruzar o Canal da Mancha?
Isso eu já escrevi AQUI.
Só não se esqueça que, se resolver ir de ferry, leve em conta que vc pode pegar o mar agitado e passar 1h30min balançando dentro do “barco” (como que se fala ferry em português???). Levem remédios contra enjôo caso tenham estômagos sensíveis.

3 – Eu passo por posto alfandegário saindo da Bélgica/França para a Inglaterra?
Sim!!!! E eles fazem várias perguntas.
Eu NUNCA tive problemas pra entrar na Europa, independente do país por onde eu entro (se eu estou com a Rafa é mais fácil ainda pq eu apresento o passaporte dela junto com o meu). Nunca passei por nada mais rígido num posto alfandegário, mas isso foi até irmos para Londres.
De trem saindo de Bruxelas: vc preenche um papelzinho de “non-EU resident” mesmo que vc more aqui há anos (o que eu não acho claro. Eles deveriam especificar que o papelzinho a ser preenchido é para “non-EU citizens” e evitar confusões). No papelzinho vc informa o motivo da viagem, hotel onde vai ficar e quantos dias.
No guichê do guarda ele me perguntou se eu conhecia alguém por lá, leu meu papelzinho, pediu minha carteira de identidade belga e me deixou passar.

De ferry embarcando em Callais: vc passa pela alfândega dentro carro. Preenche o mesmo papelzinho, apresenta o passaporte, mostra a confirmação de reserva do hotel e responde as perguntas feitas pelo guarda.
Foi onde eu mais tive “problemas”. E olha que eu estava no carro com Rafa e Mick!!!
O guarda me perguntou há quanto tempo eu morava na Bélgica, o motivo de estar aqui (quase respondi: olha o motivo sentado na cadeirinha no banco de trás), se eu trabalhava, com o que eu trabalhava, qual era a minha função e há quanto tempo eu trabalhava. Eu, burra, ao invés de dizer que estava indo a turismo, disse que ia encontrar uma amiga. Aí pronto, ele queria saber se a amiga era brasileira, há quanto tempo morava na Inglaterra, se era casada com algum inglês e por aí vai.
Achei que ele nunca ia me deixar passar mas, mesmo eu respondendo que minha amiga era sim brasileira e casada com um inglês (Mick tava querendo me matar pra eu calar a boca e parar de ficar explicando minha vida pro cara), ele me deixou passar (eu já estava preparada para apresentar meu cartão do banco e a cópia do meu pagamento, que tinha recebido no escritório naquele dia).

Não é assim com todo mundo, mas se vc estiver passeando pela Europa continental e quiser atravessar o canal de um jeito ou de outro, fique preparado pq a alfândega inglesa me parece ser bem mais “encrenqueira” do que no continente.
Obs.: cidadões da União Européia não precisam levar ou apresentar seus passaportes de viagem, a carteira de identidade é suficiente (Mick e Rafa passaram sem apresentação dos passaportes – Mick nem tinha levado!).

4 – Como decidir se devo ter filhos?
Se vc encontrar uma fórmula, vc me avisa por favor???

>> quando eu chegar em casa eu posto fotos de hoje.

Terceiro dia

Que belga, em sua maioria, é um povo desligado de tendências de moda eu já estou careca de saber.
A maioria das pessoas opta por roupas confortáveis e básicas. Saltos, no máximo, médio e pouca ou nenhuma maquiagem.
Não se vê muita ousadia nas ruas (que é uma das coisas que mais me maravilha em Londres, por exemplo, a ecleticidade e a coragem das pessoas). Não se escuta muito sobre moda, não no dia a dia.
E, a não ser que vc vá para as partes da Antuérpia mais moderninhas, onde o povo famoso muitas vezes é visto e etc, vc raramente vê sapatos super altos (tb pudera, 90% da cidade é de ruas de paralelepípedo – nem conto quantos quase-tombos ou tombos eu já tomei por aqui por causa de salto fino que agarra entre as pedrinhas).
Eu sei que muita gente ignora salto alto por causa das ruas (eu tb deveria), ou pq já se acham altas o suficiente (eu tb deveria), ou mesmo pq salto alto é uma coisa dolorida mesmo (eu tb deveria), mas daí a querer ditar moda em nome do conforto é abusar do meu bom senso!

Ontem de manhã, enquanto eu vinha para o trabalho, passou na sessão de notícias inúteis do rádio que salto alto estará abolido das duas próxima estações e só vai se usar sapatos com no máximo 2cm.
Mick, mais do que depressa, falou que eu devia aposentar meus sapatos e aceitar que eu sou mais baixa do que ele (detalhe: Mick tem 1.79cm!). Eu, também mais do que depressa, disse que duvido-de-ô-dó que não vai se usar saltos no outono/inverno e que eu não sabia de onde que a mocinha do rádio tirava suas informações (nem fazia sentido: os shows com as coleções outono/inverno já acabaram há semanas, todas as tendências já estão “ditadas” e, até onde eu vi, não vai mudar tanto assim do que se viu no inverno passado), de onde que os jornais daqui inventam NO MEIO DE AGOSTO que não vai se usar salto?? Viram num desfile lá de junho ou julho e esqueceram de passar a mensagem???!!!
Devorei minha Elle na hora do almoço (ontem) para encontrar as tendências apresentadas nos desfiles (e me surpreendi quando vi a quantidade de cores vibrantes que vai se usar no outono!! Hoeray!!). Adivinhem: tooooooooodos os desfiles foram apresentados com saltos bem allllltos. Na própria Elle tem umas duas páginas falando sobre como os sapatos estão ficando mais altos e mais perigosos.
Agora eu me pergunto … a Bélgica nunca dita moda sozinha (vcs já viram o tamanho da Bélgica???!! Já perceberam que, além de ser mini, a Bélgica é dividida em duas partes diferentes culturalmente e socialmente (parte flamenga e parte francofônica)???!!) , então eu não sei se o povo daqui vai começar a infestar os jornais dizendo que o último grito da moda é usar as pantufas que estão jogadas no canto desde a primavera simplesmente pq é mais confortável, ou se eles estão espalhando esses rumores pq um bando de pessoas semi-famosas foi visto por aí com roupas pra outono e sandálias rasteirinhas.
Só sei que não, salto não ficou brega de um dia pro outro e sim, vamos poder usar botas de salto alto no inverno.

Dito isso, esse foi meu terceiro dia lilás (eu não vou colocar foto de corpo inteiro pq eu tive que ir com sandália rasteirnha hoje por causa do meu joelho, e ficou péssimo!).

quarta-feira

quarta-feira 2

quarta-feira 3

A base do rosto + batom são os mesmos.
Hoje eu só mudei o rímel para o XXL da Maybeline e o blush para o Bronzing powder da M.A.C..
Queria esfumaçar as pálpebras mas hoje de manhã foi tenso com Rafaela dando show de que não queria colocar a roupa e eu atrasada, então como ainda não sou fera em esfumaçar nada, decidi quebrar o lilás com um pouco de Copperplate da M.A.C. (se eu usasse algo mais escuro do que essa sombra, e desse errado, ia chegar extremamente atrasada no trabalho … achei melhor não correr riscos).

P.S. – nada contra sapatos sem salto. Eu tenho meus (muito) dias de all stars ou bailarinhas durante os meses mais frios. Meu guarda-roupa não segue tendências e, além de maquiagem e sapatos, eu raramente sei o que realmente está em voga, sendo assim, eu me visto para me sentir confortável na minha própria pele … mas eu acho o cúmulo ficar dizendo que a “tendência da moda” é X ou Y quando na verdade ninguém nem jogou essa possibilidade na passarela.
E se tendência significasse ‘aquilo com o qual eu me sinto confortável’ eles deveriam dizer que a tendência desse inverno vai ser sair de casa enrolada no seu roupão mais felpudo.

Segundo dia

Não é terrível que a maioria das coisas saudáveis simplesmentem não dão com o seu paladar??!!!
Eu estou fazendo o meu melhor para incluir iogurte no meu dia a dia mas tá difícil!!! Eu queria comer Activia bonitinho, todos os dias mas, no ritmo que está indo, quando essa bandejinha acabar eu vou ter que lutar contra todos os meus instintos, que gritam para eu passar longe da geladeira de iogurtes no supermercado, caso queira comprar mais potinhos.
Eu até confesso que, mesmo com a diminuição mínima que eu fiz de açúcar e sal, já dá para sentir uma diferença. Eu não estou fazendo uma dieta de verdade (até pq no final de semana eu comi sorvete e jantei macarrão ao molho carbonara por dois dias seguidos!), mas estou substituindo algumas coisas como o biscoito doce do café da manhã por um potinho de Activia (eu queria era tomar vergonha na cara e acordar cedo para fazer mingau de aveia, mas a preguiça dala mais alto, então mingau é meu brunch só no findi), diminuí o açúcar do mingau e adicionei o manjericão aos meus sanduíches (diz a lenda da alimentação saudável que manjericão é desintoxicante). Quando eu sei que vou passar do limite com o sal em alguma refeição (= molho carbonara), eu compenso com frutas e água durante o dia (chá não desce, nem adianta).
Eu quero emagrecer (o botão estourante da minha calça que o diga!), mas acima de tudo quero adotar hábitos mais saudáveis, pq se eu fizer alguma crash diet para emagrecer, eu sei que rapidinho volto aos maus hábitos (não é culpa minha que leite ninho, pão quente com manteiga, pizza cheeeia de queijo e coca cola me fazem tão feliz).

Mas enfim, falemos de maquiagem …

terça-feira
terça-feira 2

A diferença de ontem pra hoje é que eu espalhei a sombra até bem perto das sombracelhas (ahh, e eu não usei o pincel pq estava com presa, espalhei com o dedo mesmo) e logo embaixo das sombracelhas eu usei uma sombra iluminadora amarela (pq o iluminador mais branquinho ia marcar muito). Ainda nos olhos: rímel Tres Noir (Cover Girl – suuuuuper baratinho e acha nos supermercados aqui).
No resto do rosto: base em pó (M.A.C.) + blush Desert Rose matte (M.A.C) + batom Dior Addict Lipcolor 613.

Terça-feira 3
(bad hair day)

Eu tô curtindo usar a sombra lilás mas fico meio invocada com a limitação que ela impõe quando o assunto é roupa.
Eu não tenho muitas roupas pretas ou brancas, normalment eu vivo de calça jeans escuro (skinny … que hoje em dia está bem menos skinny) + blusa com alguma cor marcante + sapato de salto alto bege (eu estou começando a comprar sapatos de outra cor) + casaquinho ou jaqueta de cor neutra (= preto ou bege). Eu tento deixar para ousar mais com as minhas blusas, jogando cores fortes, e é aí que problema entra.
Talvez esfumaçando o canto do olho, como a Mari falou nos comentários, eu consiga quebrar o lilás e ter mais liberdade com a escolha das roupas … vou tentar amanhã com uma blusa rosa pink.

Lilás

Passamos o sábado pintando nossa cozinha de amarelo … e eu ainda não estou muito convencida da cor, mas não vou julgar pq falta o lado superior de uma das paredes e ainda temos que tirar as fitas protetoras e acertar os móveis nos seus lugares exatos.
Eu não sou muito fã de reformas. É óbvio que eu gosto de morar em um ninhozinho organizado, bonitinho e decorado, mas eu sou péssima quando o assunto é criatividade.
Por isso que até hoje eu não dei jeito nas salas de jantar e de estar (tenho que comprar um sofá novo mas não sei o que escolher, enquanto na sala de jantar eu tenho que me desfazer de alguns armários antigos que já estavam lá antes de mudarmos mas me dá crise de pânico só de pensar em começar a mexer em tudo –a casa é propriedade da mãe do Mick e ela tem mania de comprar casas e decorar no seu estilo: antigo; então temos vários armários antigos de madeira maciça, pesados pra caramba, que eu SONHO em colocar no porão e nunca mais ver!).
Em outras palavras, sábado foi um dia estressante e eu me dei o direito de sentar por 30 minutinhos a noite para re-ler algumas revistas que estavam no armário.
Em uma das minhas Glamour UK, acho que a de junho, tinha uma página inteira dedicada à sombra lilás com dicas e explicações. Percebi que eu nunca mais usei a minha sombra de novo, então decidi dedicar a semana à ela.
Um dos motivos de eu raramente sair de casa com essa sombra (que é a Satellite Dreams da M.A.C.) é pq eu ainda não me encontrei com a combinação entre as cores (sombra + delineador + blush + batom + roupas), então essa semana vai ser uma semana de testes onde quero tentar várias combinações diferentes e mostrar aqui no blog.
Outra coisa que eu quero tentar é mudar as pinceladas para conseguir outros efeitos, mas tentando não ousar muito pq eu não vou estar me maquiando para balada (e lilás-lavanda não é uma cor assim tão discreta).
Isso foi hoje de manhã:

Satellite dreams

Satellite dreams 2

Satellite dreams 3

Satellite dreams - monday
(eu já contei que eu morro de vergonha de tirar fotos sozinha??!!!)

Na revista estava dizendo que lilás é uma cor que realça a cor dos olhos independente da cor dos mesmos, o segredo está em escolher a tonalidade certa de lilás.
Olhos claros ficam bem com lilás lavanda (que é a cor da minha sombra), enquanto olhos escuros ficam bem com lilás-ameixa e lilás-fechado.
É óbvio que eu não sabia disso quando comprei minha sombra e sequer pensei em procurar outros tons para ver qual ficava melhor, eu simplesmente queria uma cor lilás que tivesse cara de lilás, então a menina me apresentou o potinho.
Essa semana eu quero dar uma pausa nas compras pq eu ando muito descontrolada (por isso não comprei a sombra da Dior ainda), mas quero testar a sombra ameixa nesse outono/inverno sem falta.

P.S – caso vcs reparem a repetição de calça durante a semana, deixa eu contar: Eu tô de castigo. Essa calça costumava ser folgadinha em mim, na cintura, ontem a noite eu queria vesti-lá para ir jantar e os botões teimaram em ficar abrindo toda santa hora. Mudei de calça no final das contas mas vou usar a bendita a semana inteira para me lembrar que não, eu não deveria estar comendo um pedaço de brownie depois de ter enchido a cara de sanduíches!!!

Ansiedade, Dior e Paris

É loucura minha já estar obcecada por encontrar um vestido perfeito para usar no níver da Rafa em março do ano que vem???!!!
Se eu penso sobre isso, acho que consegui superar a mim mesma no quesito “desesperos desnecessários somados com ansiedade”. Mas, por outro lado, faz sentido que eu já me preocupe agora:
1 – eu sou ansiosa e estou curtindo me preocupar com a festa
2 – eu quero comprar um vestido bem verão mas chique (já tenho umas idéias na cabeça mas ainda tenho que passar por supervisão pq eu não confio muito no meu taco criativo … é brega usar cetim?????)
3 – não vai rolar de comprar no Brasil pq eu vou me estressar: chegamos no Brasil no começo do carnaval, ou seja, para compras a semana é praticamente perdida. O níver da Rafa é logo na semana seguinte, na quarta, o que me daria 2 ½ dias para achar alguma coisa
4 – também temos um casamento para ir no sábado (06/03) e eu já vou me estressar o suficiente para achar o vestido perfeito para ESSE evento quando chegar mais perto do final do ano.

Eu não vou comprar nada agora (até pq todo o buzz fashion atual se concentra nas coleções de outono), mas quero começar a ter idéias.
Pensei em comprar bastante revistas nos próximos meses, escolher algo e pedir para minha costureira fazer no Brasil. Mas o risco é grande considerando que eu vou ter que tirar minhas próprias medidas e não vou poder provar antes de estar praticamente na véspera.
Tb já pensei em dar umas pesquisadas nos catálogos das novas coleções primavera-verão que já devem estar pipocando no Brasil e pedir pra mamãe comprar quando as coleções chegarem nas lojas, mas roupa no Brasil está caro demais (se vc for comprar marca – e eu tava pensando em roupas FARM). Assim eu prefiro comprar roupas aqui na Bélgica pq, mesmo que eu pegue algo de algum designer famoso, a diferença acaba não sendo tão grande (amém pelos outlets!!!).
Vou continuar procurando … e agradeço idéias e dicas, viu?!!

***
Eu queria dividir minha nova paixão com vcs!!
Dior Eyeshadow
Ontem, em uma das milhares de revistas que estão me esperando para serem lidas, eu li uma matéria com dicas para maquiagem de verão e uma das maquiagens haviam sido feitas com essa sombra (que é muito mais bonita pessoalmente, a propósito).
Preciso dizer que eu estou me coçando para ir lá comprar??!!
Eu sou meio contra cores azuis, acho que eu traumatizei vendo um povo aqui usando delineador azul e rímel azul de qualquer jeito e associei a cor à breguice. Ou talvez seja pq eu ainda não estou levando muita fé na combinação entre as cores azuis + pele morena + cabelos e olhos escuros … não sei.
O problema é que essa sombra é da Dior e eu não sei se vai dar para eu experimentar antes de comprar … se fosse M.A.C., a vendedora ia fazer seu milagre lá na hora e me convencer a comprar.
Amanhã eu passo na loja e depois passo a resenha da experiência para vcs.

***
Outra coisa que agora está me incomodando … pessoas que moram em Londres, tem ou não tem Sephora aí????
No site da Sephora eles informam dois endereços em Londres … está errado então??

Sephora
Unit SU8
N1 Islington Shopping Centre
3 Parkfield Street
Islington LONDON
N1 0PS

Sephora
Units F4-F5
Brent Cross Shopping Centre
Hendon LONDON
NW4 3FP

Preciso saber disso pq minha próxima viagem pra Londres estavam incluindo passeio na Sephora daí + comprinhas de produtos da Boots!!! (falando nisso, tô planejando passear pelas bandas de lá do canal em Novembro … mas ainda tenho que convencer vcs sabem quem).
Ahh, e outro by the way, mesmo com a Sephora aqui em Breda (Mari, vc vê o pq que eu PRECISO que vc volte para as terras frias??!!! Só vc me dá dicas assim!!!), eu vou manter o passeio em Paris pq agora eu me empolguei (e talvez a Mi vá junto!!!!!!! Uhuuu)