Achado

Pessoas,
É muito provável que eu dê uma sumida do mundo de blogs essa semana por conta das zilhares de coisas que eu tenho que fazer e o pouco tempo que me falta.
Quando eu estiver no Brasil vou tentar postar e colocar algumas fotos no Orkut (principalmente se o santo do clima –eu esqueço o nome dele- continuar com palhaçada e ficar prevendo chuva e tempo nublado!!!).

Mas antes de eu dar minha sumida básica PRECISO dividir uma coisa com vcs!
Eu encontrei a base perfeita!!! Tenho certeza que a linha de produção da Diorskin NUDE é composta de anjos cintilantes e fadas coloridas pq, meu, que base MA-RA-VI-LHO-SA!!
A minha ainda não foi comprada (devo comprar no duty free do Rio pq aqui não tá rolando tempo … e a merda do clima voltou a ser chuvoso com temp. de 5°c, o que me desanima para ir bater perna no centro da Antuérpia durante o almoço); a minha veio de amostra gratis em alguma revista Glamour (eu acho que a do mês passado) e eu geralmente jogo amostra gratis for a mas essa eu deixei lá para usar … não custava nada.
Ontem eu passei … deixa só eu fazer um parênteses aqui, eu estou acostumada com a base da Biotherm mesmo que eu raramente a use. A base da Biotherm tb é boa mas ela tem uma textura meio de pó, vc sente os grãozinhos de alguma coisa serem espalhado na pele e isso dá uma impressão aveludada. Mas o motivo de eu não usar a bendita da base é pq fica SUPER óbvio que vc está com várias camadas de maquiagem e eu odeio isso durante o dia. Fecha parênteses. A Dior Nude é líquida do começo ao fim. Não tem grãozinho e nem textura de pó, e isso me deixou na dúvida (eu sou uma pessoa que começou a usar maquiagem há dois anos e meu primeiro “kit” foi da Biotherm, como minha base ainda está durando, eu nunca experimentei outra pq achei que fosse tudo a mesma coisa em sua essência). Fiquei imaginando que a base super líquida ia deixar minha pele melequenta, que ia escorrer na metade do dia e por aí vai.
Pra começar, por ser bem líquida, minha pele absorveu a base imediatamente e, mesmo antes de eu passar o pó, não me deixou brilhando. Amei por isso.
Segundo que por a base ter sido tão bem absorvida pela minha pele, vc não percebe que está de base!!! Ficou super natural, como se eu tivesse nascido com a pele daquele jeito: linda!
Passei o pó, sombra e os outros bla bla blas e vim trabalhar. No escritório estava super quente pq alguém resolveu aumentar a temperatura do aquecedor. Estava contando os segundos para começar a escorrer por aqui (pelo menos na área dos olhos) e qual não foi minha supresa ao sair daqui com a maquiagem tão certinha quanto de manhã!! Fomos jantar ainda e chegamos em casa às 21:00 … a não ser pelo batom que já havia desaparecido, ninguém diria que eu passei maquiagem às 07:30 e que não retoquei o dia inteiro!!!!!
Portanto fica a dica!
Só tomem cuidado com a tonalidade … eu sempre usei o Medium Beige da Biotherm (e meu pó é o #5 da The Body Shop), mas a mesma tonalidade da Dior Nude é bem mais escura do que a minha Biotherm. Então cuidado ao comprar pela internet sem antes saber exatamente qual tonalidade é a sua (eu achei que estava ficando transparente pq pela primeira vez uma base medium beige me deixou SUPER morena … passei a base da Biotherm hoje para saber se era meu corpo que já tinha aposentado todo traço de melanina nele, ou se era a base … era a base!!!!).

Anúncios

Preparação

Eu tô igual a uma galinha sem cabeça correndo no terreiro!!!!!!!!!!!!
Taaaaaanta coisa pra fazer e eu sei que a semana vai ser corrida (quando não é??!!!) … já estou pensando que vai sobrar tudo pro sábado …
Eu sou uma pessoa organizada. Eu posso até me desorganizar durante determinado trabalho, mas eu começo tudo organizadamente, e quando se trata de viagens, eu fico pior! Não pq eu quero dar uma de miss perfeitinha (como minha cunhada diz), mas pelo simples fato de que se eu não trabalho com listas e post-its, eu me perco no meio da empolgação!
Eu queria ter arrumado as malas no final de semana para poder só ir adicionando peças que eu encontrasse pela casa, nessa semana. Mas no sábado fez 13°c e sol! Não dava pra ficar em casa!!!! Chegamos em casa no meio da tarde e fomos ajeitar a casa para recebermos nossas visitas.
Ontem eu estava morta de cansaço acumulado e dormi a tarde inteira.
Agora eu já estou prevendo a semana e pensando “naonde” é que eu vou arrumar tempo!! Preciso de fazer uma lista de prioridades (seguindo da minha lista de ‘coisas que eu não posso esquecer de levar’) e ver como que minha semana vai se encaixando. Eu quero deixar alguns pratos semi-prontos para facilitar a vida do Mick, quero deixar todas as minhas roupas passadas e lavadas para não ter que chegar aqui e ir pro trabalho com alguma roupa de verão!!! Também tenho que deixar roupas prontinhas pra Rafa e deixar uma lista de afazeres para o senhor Mick pq senão, quando eu voltar o quarto de brincar da Rafa não vai estar pintado, a pia nova não vai estar instalada e os móveis que tiramos do quarto da Rafa já irão ter proclamado o hall como habitat permanente.
O pior é o stress principal: arrumar a meleca da mala!! Pra começar eu odeeeeeeeio arrumar mala pq nunca cabe tudo o que eu quero (e com um limite de peso de 20kgs, as coisas pioram). Mick tem que dobrar e ajeitar minhas coisas na mala, senão não rola (é que eu quero dobrar tudo bonitinho e talz e acabo gastando espaço demais). E segundo, eu SEMPRE esqueço alguma coisa que não posso esquecer … escova de dentes, pasta de dentes, desodorante, soro fisiológico (eu uso lentes pq sou quase cega!), ou os óculos … ou até mesmo as lentes. No melhor dos casos, eu lembro no último minuto e soco tudo dentro da bagagem de mão (uma mochila) aí fico carregando a Rafa (13kgs) + mochila (15kgs!) + algum bicho de pelúcia pra Rafa.
No ano passado eu esqueci de levar casaquinhos e meias. Tava fazendo 16°c em SP quando eu cheguei e tive que usar as roupas da minha amiga.
Esse ano eu tenho que levar um zilhão de chocolates e as botas da minha irmã e, para isso, já espalhei post-it pela casa inteira!
Também não posso esquecer de levar algumas coisas para distrair a Rafa no vôo … livros para colorir, remédio para ela dormir e também tenho que preparar alguns sanduíches com nutella e tb com queijo pq Rafaela não reconhece comida de avião como comida (não me perguntem pq!!) e se ela não reconhece algo, ela simplesmente não come (eu já contei que ela ficou literalmente 2 semanas sem comer no ano passado no BR??!! Ela só comia UM tipo de papinha da Nestle (que era a que sempre dávamos pra ela) e bebia Yakult e a mamadeira dela (leite com achocolatado), não colocava nada mais na boca — pensem, Charlotte no filme ‘Sex and the City’ durante a viagem delas para Mexico!).

Eu tô ansiosa … com frio na barriga … e com a sensação de não ter tempo pra muita coisa (sem contar que eu já estou sofrendo pq tenho que voltar *rs)
Como que vcs se organizam para viajar??? Tô precisando de dicas ….

Vestidos e sapatos – II

Deixa eu comentar uma coisa sobre o post de ontem (e desviar o assunto um pouco).
Mari, eu digo que a Arezzo não é marca de luxo pq quando eu morava aí (há anos!!) os sapatos eram caros mas não eram destinados à classe A (isso vindo de uma amiga que trabalhava no marketing da Arezzo). Mas eu concordo com vc quando diz que uma loja que vende uma rasteirinha besta por 180 reais não é para qualquer um (eu sou uma que não poderia comprar sempre!).
E essa é exatamente a minha questão … como que uma loja destinada para classe B e C foca em valores acima de 150 reais mínimo??!!
Esquecemos a Arezzo agora, pensemos na loja FULANA que abriu em um bairro do município de Cariacica (Mari, vc conhece o lugar … talvez até a loja, depois te falo o nome).
Cariacica é um município pobre. Não significa que todas as pessoas que moram no município são pobres!!! O bairro de Campo Grande é bem conhecido e tem várias lojinhas legais. Eu morava lá (pq era perto do trabalho dos meus pais), tenho vários amigos ricos (mesmo!) que moram lá, MAS 90% da população desse bairro é de classe C e D.
A loja FULANA é de uma amiga da minha mãe, começou pequena (muito pequena) e não vendia marcas. Cresceu um pouquinho e começou a desenvolver sua própria marca para roupas e passou a vender bolsas e sapatos de couro –de marcas desconhecidas-. Ano passado eu fui lá visitar e a loja está ENORME, linda e super moderna. Não combina com o bairro, mas parece estar indo bem.
Não deu nem 5 minutos e eu já estava me entregando de amores por uma bolsa vermelho sangue que estava lá me paquerando. A dona da loja veio me vender a bolsa … e eu vi o preço: 480 reais.
Eu fiquei branca na hora!!! Pq é como a Mari disse no comentário dela … uma DKNY aqui custa 150/200 euros (uma de tamanho médio)!!!!!!!!!!! Uma Dona Karan for christ’s sake!!!!!!!!
Como que pode uma bolsa zé ninguém (mas linda) nesse bairro está custando quase 500 reais??????
A dona da loja, vendo meu espanto, me disse que dividia e aquelas estórias. Eu disse que não (nessa hora eu atingi tons inacreditáveis de vermelho por causa da vergonha). Fomos pra casa.
No carro eu comentei com mamãe sobre isso e mostrei minha indignação. Como que uma loja dessa sobrevive???!!!!
Mamãe me respondeu com toda sua mentalidade brasileira (não estou julgando!!!): “mas filha, eles dividem até em 4 vezes!!!”.

E é essa a mentalidade … é caro, mas dá pra dividir.
Eu acho que dá certo, se vc tiver controle total sobre suas finanças. Eu, morando no Brasil, era hopeless. Não tinha nada nesse mundo que me fizesse enxergar que o cheque especial não era extensão do meu salário!
Mesmo que eu tentasse não entrar no cheque especial, naquela época do mês em que não sobra mais muito dinheiro, eu começava a pensar: “ah mas o gerente fofo do banco me deu xxxx de cheque especial … então tem dinheiro na conta”.
No dia que íamos mudar pra Bélgica, Mick me deu 100 reais para cobrir minha conta CASO PRECISASSE e encerrá-la. Ele quase enfartou (e quase me estrangulou) quando eu contei que 100 reais não iria cobrir quase nada do meu saldo negativo por causa do bendito do cheque especial.
Mick não foi criado assim (crédito aqui é algo MUITO recente e nada popular), ele nunca entendeu o pq de vc comprar uma coisa para a qual não tem dinheiro. Se eu comprava uma coisa dividida, ele me dava um sermão enorme. Para ele, se eu quiser a bolsa de 500 reais, eu posso comprar, mas tenho que pagar ali na hora. Se não tiver o dinheiro … pech/too bad/azar. Eu que economize nos próximos meses. Para ele, a inconstância dos próximos meses é apavorante quando vc já assumiu dívidas desnecessárias. Ele não entende o raciocínio em dividir várias coisas por meses, somando um total mensal que é 70% do seu salário … e se vc perder seu emprego? E se algo inesperado acontecer? Etc etc.
Depois de passar perrengue aqui e ter que esperar ter o dinheiro para comprar item X, eu aprendi a viver sem o cheque especial e sem as parcelas e, considerando a vida que eu vivia no Brasil, eu não entendo como que uma pessoa, que ganha 1000 reais por mês, compra uma bolsa de 480 … mesmo dividindo em 4 vezes, vc ainda tem uma dívida de pouco mais de 10% do seu salário durante quatro meses por causa de UMA bolsa!!! Para mim, não funciona (logo logo minha dívida das parcelas chegam ao meu salário total e eu ainda acho que estou bem!), funciona muito bem para minha melhor amiga e para mais um monte de gente, mas eu me recuso a acreditar que eu sou um caso único.

Vestidos e sapatos

Tô numa fase de vestidos … vestidos coloridos, longos, com cara de verão.
Eu vi muito famoso e famoso-wannabe do Brasil usando vestidos desse tipo no auge do verão (fiquei louca-apaixonada por um que a Carolina Dieckmann estava usando) e já estava planejando comprar vários quando fosse para o BR. Mas pelo o que eu vi por aqui, a moda de verão vai ditar praticamente a mesma coisa e eu estou igual à pinto no lixo de tão feliz com a ‘novidade’!!
Ainda estou achando tudo um pouco meio off em relação aos preços (ou sou eu que estou ficando usurenta, ou a Mango, a Mexx e a Zara estão vivendo em períodos de extrema abundância … vestidos levinhos com cara de verão estão acima de 150 euros na Antuérpia) … minha solução favorita é comprar um monte de tecido que me apeteça no BR e pedir para a minha costureira do coração fazer meus vestidinhos durante as duas semanas em que vou estar lá (eu fiz isso no ano passado, mas ao invés de vestidos, ela fez várias blusas/túnicas para eu desfilar no verão daqui … aquele verão que não existiu, lembram?! ).

Também querIA comprar alguns sapatos no BR, mas sério mesmo … o povo daí enriqueceu horrores com essa crise??!!!
Eu tava dando uma olhada no site da Arezzo e não tem NADA abaixo de 180 reais!!!!!!!! E olha que Arezzo não é exatamente marca de luxo! Imagina os valores dos meus amados Schutz!!
Bolsas todas por volta de 300 e poucos reais (as mais baratinhas) em lojas de bairros classe B-C.
Sei lá … acho que eu tô ficando usurenta de verdade, mas em comparação com as lojas daqui, não é sempre que vale a pena comprar algo no Brasil (leia-se Vitória pq eu só estou vendo as coisas lá). Tá que os vestidos aqui estão caro mas estamos na fase de pré-estação e é normal o pessoal tirar um certo proveito, mas eu ainda encontro bastante coisa legal e barata na H&M, na Zara (principalmente durante as liquidações), na própria Mango e por aí vai.
Bolsa da Esprit aqui está custando em torno de 50-60 euros … nem com o pior câmbio chega aos valores mínimos de 450 reais que eu vi na Corello ano passado.
Eu acho bom eu começar a me acostumar com o estilo dos sapatos/sandálias de verão daqui e planejar compras no Brasil para o futuro …

Contour Wrap

Eu nem contei da minha sessão de lama estética semana passada!!!!!
Tipo, o lugar é super gostoso (a clínica), extremamente limpa, bem organizada, com música para relaxar, meia luz (uma cor diferente para cada ambiente) … a cadeira de massagem era daquelas com todas as frescuras possíveis, então dava pra ajustar o tipo de massagem (pq de vez em quando essas cadeiras só tem dois níveis: nível “não existe diferença entra cadeira de massagem e poltrona” e nível “saiba como é ser espancada”).
Agora o tratamento em si … primeiro que eu odiei que ninguém tirou nossas medidas, mas não reclamo pq NÓS (eu e minha amiga) chegamos mais tarde do que o combinado). A menina (um doce!!) me embrulhou toda em várias camadas de faixas (esqueci o nome direito … são aquelas faixas que usamos para nos fantasiar de múmia, ou quando torcemos o tornozelo ou outras partes). Depois coloquei uma roupa de astronauta lá e fiquei beirando a linha do sono por uma hora na minha cadeira (mentira pq eu e minha amiga ficamos conversando igual duas papagaias!).
Depois de 1h a menina tirou as faixas (e eu quase morri de frio). Não deu pra ver nada ali na hora pq a meia luz engana qualquer um!
No final das contas eu estava bem desapontada semana passada pq não tinha visto diferença nenhuma (tudo bem que a menina já havia me dito isso, mas mesmo assim eu queria ver alguma diferença). Desde então eu tive muito pouco/nenhum saco para ficar analisando minha barriga na frente do espelho … até hoje de manhã quando Rafaela me tirou da cama às 06:30 da manhã.
Não vou dizer que eu perdi 10cm na barriga, mas me parece mais firme do que o normal … até a minha mini pochetinha (herança dos 20 e tantos kilos que eu engordei na gravidez) me parece menos “saggy”.
Faltam mais duas sessões (amanhã e na próxima quinta-feira) e eu falo se os 240 euros foram bem gastos ou não.

Brasil

No time!!!!!!
Eu tô corrida … deixei juntar um monte de mini problemas e mini trabalhos aqui no escritório e agora estou tentando me arranjar para deixar tudo zerado até o dia 27/03.
Dia 29/03 eu viajo!!!!!!!! E já estou começando a pensar em quão difícil vai ser voltar pra casa. Menos que no ano passado, acredito, mas mesmo assim difícil (acho que se Mick fosse junto ia ser pior).

Sabe que eu ainda penso em um dia voltar para o Brasil?! Voltar mesmo, trabalhar e morar por lá. Criar a Rafa perto da minha família. Poder ver meus amigos mais frequentemente do que uma vez por ano.
Nem vou dizer que é por causa do clima não pq eu sei que esse ano eu estou azeda com o inverno pq não tive verão por mais de um ano direto (e tb pq eu fico azeda nessa época onde meus amigos no BR estão todos desfilando em roupas leves e coloridas e com o bronzeado mais lindo, enquanto eu uso roupas marrom, preta, cinza, lilás escuro e todas as variações com cara de inverno e ainda por cima tô cor de palmito em conserva). Mas eu acho que quando imigramos (seja qual for o motivo), ficamos sempre com uma certa possibilidade aberta.
Eu sei que é inviável financeiramente querer apostar numa vida no Brasil. Eu sei que estaria assassinando minha carreira se quisesse mudar pra Vix. E eu sei que mudar para o Brasil agora seria uma aventura louca demais para nós (temos a Rafa para pensar, não dá mais para apostar em um futuro incerto e ir tentando a vida … Rafa tem que ter estabilidade). Mesmo assim, fico pensando em “daqui a 5 anos” mudar de volta.
Abrir alguma coisa para eu que eu pudesse trabalhar (tb posso rezar muito pra Vix ter um boom de comércio exterior decente, aprofundar o nível do porto e assim eu poder trabalhar por lá … mas não rola, o coração do comércio exterior continua em SP). Tb poderia mudar pra SP onde eu consigo um emprego legal na minha área (e meu sonho é mudar para o apartamento onde morávamos, com meus vizinhos perfeitos!), mas continuaria longe da minha família (é bem verdade que estaria MAIS perto, mas sério, passagem Congonhas – Vix tá custando uns 700 reais por pessoa –ida e volta-, e eu SEI que não vai rolar de ficar passando final de semana em Vix uma vez por mês).
Acho que esse é o down side de se morar fora … sempre fica faltando um pedaço.
No Brasil eu sentia saudades da Bélgica (saudades da vida mais tranquila e sem tantos medos e inseguranças, saudades de algumas comidas, dos pães, dos croissants, dos churrascos com saladas frias e pães, saudades do outono … dos parques, das lojas …). Aqui eu sinto falta de “casa”. Falta alguma coisa, alguma coisa emocional … e é como se nada nunca se completasse.
Eu repito várias vezes o que eu acho ser verdade … meu lado racional vai sempre escolher morar aqui, mas o lado emocional pede para voltar pra casa.
O desafio é alinhar os dois lados e procurar uma solução para os dois … quem sabe daqui a 5 anos?! ;o)

Festa

Cansada e de saco cheio do trabalho … mas deixa pra lá, hoje é sexta!!!

Meninas, não EXISTE vestidos ou blusas de inverno à venda nas lojas da Antuérpia!!! Casacos meia estação, sim, eu até encontrei. Mas nenhum vestido de manga ¾!!!!
Comprei um vestido preto (previsível que dói), leve e com um tecido que grita “Primaveraaaaa, estamos ae!”. Vou passar frio pq o bendito não me permite colocar uma meia de fio grosso (tem que ser meia fininha cor da pele mesmo) e implora por um salto alto fino (vou com meu sapato peep toe vermelho). Por cima meu casaco de inverno preto e é rezar para o estacionamento ser do lado da porta do restaurante e eles não inventarem de desligar o aquecedor do restaurante (o dono da festa fechou um restaurante para fazer um walking dinner e transformou o lugar meio que numa boate … dj, barzinho e petiscos. Quando eles fazem isso na Bélgica no final do inverno geralmente os aquecedores são desligados para evitar que todo mundo morra de suar lá dentro quando começarem a dançar … bom, eu espero que quando eu chegar o aquecedor ainda esteja ligado!!!).
Daí que ontem, lá na loja, eu estava procurando acessórios (pq o vestido tem um decote generoso mas eu não tenho ‘material’ para encher o decote, então tenho que apelar para ilusão visual) mas me liguei pra uma coisa: Eu não uso colares no inverno!!!!
Eu até tentei usar no começo do inverno mas não rolou … pensa em vc com o colo e o pescoço nus e um trequinho de metal geladinho encostando em vc, te lembrando constantemente que apesar de vc estar fingindo que não está com frio, a temperatura está SIM na casa de um dígito! E nem com a melhor da minha boa vontade e nem repetindo meu mantra sagrado (Mocinhas elegantes não sentem frio, nem calor. Não sentem coceiras e nem dor nos pés.), consigo usar um bendito de um acessório que fique roçando meu pescoço parecendo um picolé.
Vou fazer alguma coisa com o meu cabelo para evitar o look abajour e pesar mais na maquiagem. Meu colo vai nu mesmo … a não ser que eu ache algum colar de plástico da Rafa que imite perfeitamente a cara de um colar de prata ou cobre.